quinta-feira, 30 de junho de 2011

EGITO - Muçulmanos enfurecidos atacam propriedades de cristãos





Crianças em frente a igreja copta no Egito


EGITO (19º) - Muçulmanos enfurecidos incendiaram várias casas e propriedades cristãs, rodearam uma igreja e ameaçaram matar um padre na semana passada, no Egito.

No sábado (25 de junho), na aldeia de Awlad Khalaf, muçulmanos locais atacaram o cristão copta Wahib Halim Atteyah, roubaram-lhe 8.530 dólares e demoliram sua casa junto com as outras estruturas de sua propriedade. O grupo, então, invadiu outras seis casas de cristãos e as incendiou. A maioria dos itens roubados foi devolvida por outros muçulmanos da região, de acordo com o Jornal Watani.

Tudo aconteceu quando se iniciou um boato de que Atteyah estava construindo uma igreja em sua propriedade. Atteyah teria autorização somente para construir uma casa, mas fez também um celeiro para o gado, violando a licença que lhe permitia edificar algo em 95 metros quadrados.

Atteyah e Ihab Na’eem, outro cristão copta, foram presos mais tarde. Relatórios de acusações são variados, mas todos dizem que tudo tem a ver com, supostamente, repelir ataques com armas de fogo – acusação que Attheyah disse que era verdade. Dois muçulmanos foram acusados pelos incêndios na residência.

Pelo menos cinco muçulmanos e um cristão ficaram feridos durante o ataque. Forças de segurança foram mobilizadas para proteger o restante das residências. Esforços para alcançar os membros do Thabet e da diocese de Minya foram infrutíferos, assim como as tentativas de proteger e ter contato com Atteyah.

O problema da semana passada na igreja St. George tinha suas raízes em um incidente que aconteceu há dois meses. Em março, grupos de muçulmanos protestaram no local da igreja, após a igreja querer expandir a congregação. Depois que os islâmicos obrigaram os cristãos a participar de uma “reunião de conciliação”, o projeto de expandir a igreja foi abandonado.

O grupo também exigiu que o líder da igreja em Thabet se retirasse. A igreja se recusou, mas depois mandou o padre, líder da igreja, temporariamente embora, em uma aparente tentativa de apaziguar os extremistas islâmicos que moram na comunidade.
Tradução: Lucas Gregório




Fonte: Compass Direct Via: http://www.portasabertas.org.br

O MAIOR NO REINO DOS CÉUS






“Naquele momento os discípulos chegaram a Jesus e perguntaram: "Quem é o maior no Reino dos céus?” Chamando uma criança, colocou-a no meio deles, e disse: "Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus. Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus.” Mt 18: 1-4


Será que temos sido sinceros diante de Deus? Quando estamos em nosso momento de oração, será que realmente abrimos o coração para Deus agir, e entregamos nossa vida para que Ele faça a vontade Dele?
Ser criança diante de Deus é ver e sentir que Deus cuida de nós nos mínimos detalhes; é sonhar os sonhos de Deus.

Uma criança sabe que necessita do pai e busca a ele. Muitos de nós não aprendemos a fazer isso; às vezes você não teve uma boa referência paterna e por isso mesmo tem muita dificuldade de confiar plenamente em Deus, pois associa a figura do pai biológico com a figura de Deus Pai! Mas a palavra de Deus é clara e nos desafia a sermos humildes, a sermos dependentes de Deus.Ser como criança não é apenas o fato de ser inocente, mas ter o coração puro, para uma criança o impossível não existe e os sonhos são realidade, onde tudo é novo e sublime, onde impera a simplicidade, o amor e a dependência do PAI!
Ser como criança é abrirmos mão da mentira, das desculpas para fugirmos das responsabilidades, do egoísmo, da vaidade doentia, da falta de perdão, de maltratar as pessoas que não concordam conosco... Um coração puro aceita as diferenças, ama a Deus e ao seu próximo, busca sempre viver a plenitude de Deus!!!
Ser criança é ter a esperança de um futuro, de olhar a vida com olhos curiosos, esperando por um amanhã! É não ter pressa, nem viver sufocado, ser humilde e não guardar rancor!
É viver com o coração transbordante, confiante, porque lá dentro o amor do Pai é real


quarta-feira, 29 de junho de 2011

COREIA DO NORTE - Cristãos planejam novas estratégias missionárias no país




Miséria na Coréia do Norte



COREIA DO NORTE (1º) - Por dez anos, de 1995 a 2004, as igrejas da Coreia do Sul enviaram um total de 270 milhões de wons (moeda sul-coreana) para auxiliar a Federação Cristã da Coreia do Norte no financiamento de projetos, incluindo a construção de um orfanato.

Esse dinheiro representava 77% de todas as doações privadas que foram enviadas à Coreia do Norte no mesmo período. No entanto, a verdade é que ninguém sabe como o dinheiro foi gasto ou quem o gastou.

O apoio, motivado pelos resultados da Federação Cristã, não foi apenas um problema para o trabalho missionário de outro, mas também prolonga o sofrimento do povo norte-coreano, de acordo com Yoo Suk Ryul, diretor da Igreja Cornerstone, que tem um ativo trabalho missionário ao longo da Coreia do Norte até a fronteira chinesa. Ele acabou de lançar um livro chamado “O colapso do regime de Kim Jong Il e a obra missionária norte-coreana.”

“Não é possível afirmar que a ajuda dada pelas igrejas sul-coreanas à Coreia do Norte vá colher alguma recompensa”, admite Yoo, que afirma: “O problema é não esperar nada da Federação Chosun ou do governo norte-coreano.”

No livro, há uma referência a um relatório de uma base britânica cristã de direitos humanos, a Release Internacional, e Yoo ressalta: “Na Coreia do Norte, o fracasso da reforma monetária e a escassez crônica de alimentos conduziram a controles ainda mais restritos e perseguição aos cristãos em grande escala.”

“A reconstrução da igreja não deve ser feita através de organizações afiliadas ao governo de Kim Jong Il ou aos trabalhadores de Chosun”, afirma Yoo. Ao invés disso, ele acredita que o dinheiro deve ser investido nas igrejas subterrâneas norte-coreanas, para que o evangelho possa ser propagado de baixo para cima.

Yoo tem investido muito tempo e esforço para persuadir as igrejas da Coreia a terminar o trabalho missionário já existente na Coreia do Norte e seguir um caminho. “O trabalho missionário na Coreia do Norte não é algo que pode ser realizado com uma estratégia que apenas tenha paixão”, ele escreve. “Esta estratégia missionária não capta a essência do sistema norte-coreano, é um castelo de cartas.”
Tradução: Lucas Gregório




Fonte: Persecution Via: http://www.portasabertas.org.br

Atriz Myrian Rios sofre ataque de carrascos e é repreendida por ter usado a palavra “homossexualismo”

Talvez a atriz Myrian Rios, deputada estadual pelo Rio de Janeiro, tenha se excedido um pouquinho (só um pouquinho), ao defender os valores da família e se contrapor ao PEC 23, uma espécie de PLC 122 no âmbito estadual. Ela afirmou que um homossexual pode vir a ter desejos por meninos (pedofilia). Mas a preocupação dela é válida, considerando que existem no mundo organizações, como a NAMBLA (North American Man/Boy Love Association), que lutam pelos direitos dos pedófilos homossexuais.

Depois do seu pronunciamento, a deputada estadual passou a ser “bombardeada” no Twitter, numa reação desproporcional por parte dos ativistas do movimento LGBTUVWXYZ. Ela foi, inclusive, agredida verbalmente pelo novelista Walcyr Carrasco (nome sugestivo), que a chamou de burra.


Ao acessar o seu microblog, para enviar-lhe uma mensagem de encorajamento ante as críticas pesadas que tem recebido, espantei-me com a postura da deputada, ao aceitar a seguinte repreensão de um militante elegebetista: “Então aprende que homossexualismo é termo que não se usa! Senão sua ‘explicação’ ainda carregará preconceito!” Ora, quer dizer, então, que até o emprego do termo “homossexualismo” caracteriza homofobia?! Não resisti. Escrevi na mesma hora à deputada e lhe disse: “Pode usar o termo, sim! Não há nada de preconceituoso nisso”.


Não satisfeitos em torcer o sentido do vocábulo “homofobia”, agora os elegebetistas querem impedir as pessoas de usarem um termo que consta dos dicionários da língua portuguesa?! Reconheço que é usual e comum chamarmos de homossexualidade a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo. Entretanto, a palavra “homossexualismo” não é preconceituosa. Ela designa principalmente o movimento dos ativistas homossexuais e a sua ideologia.


O vocábulo em apreço não deve ser, evidentemente, confundido com “homossexualidade”, pois uma coisa é a relação entre pessoas do mesmo sexo (homossexualidade). E outra, bem diferente, é o movimento, o ativismo, a ideologia dos homossexuais (homossexualismo). Mas, pelo amor de Deus, querer cercear a liberdade das pessoas de usarem palavras constantes da nossa língua é um abuso sem tamanho!


Sinceramente, onde vamos parar, se ministros do STF, juízes, emissoras de rádio e TV, jornalistas, artistas e apresentadores — em sua maioria — continuarem aceitando a pressão do aludido movimento, considerando os que pensam de modo diferente retrógrados e homofóbicos? Daqui a pouco, até olhar para um homossexual será preconceito...


Esse episódio envolvendo Myrian Rios antecipa o que acontecerá, caso o nefando, abominável, execrável, nefasto, anticonstitucional PLC 122 seja aprovado no Senado Federal. O simples emprego de um termo que não agrade ao movimento LGBTUVWXYZ ensejará ameaças, xingamentos e poderá culminar na prisão do 
“criminoso”. Será que as atuais modificações no Código de Processo Penal ocorreram para liberar vagas nas prisões para os cruéis “homofóbicos”?

Ciro Sanches Zibordi 



Fonte: http://cirozibordi.blogspot.com/

terça-feira, 28 de junho de 2011

IRÃ - Pressão sobre cristãos continua crescendo no país

      Os parlamentares iranianos votam novo gabinete de Ahmadinejad



IRÃ (2º) - No Irã, o aumento de declarações públicas contra o cristianismo intensificou as pressões sobre as comunidades cristãs, disseram as fontes. Segundo relatos, isso ocorre porque a liderança islâmica teme o constante crescimento de igrejas domésticas no país.

“A realidade é que a maioria das igrejas não está tão escondida, o governo não pode fazer nada e sabe disso”, disse um perito regional que pediu anonimato. “Eles sabem que as igrejas estão crescendo.”

A fonte disse que, desde as prisões em massa no início do ano, os cristãos têm sido mais cautelosos em suas atividades.

Outro cristão iraniano, um pastor, disse que existem comentários de que provavelmente ocorrerão mais detenções no país. “Acredito que uma nova onda de perseguição está se aproximando”, disse ele. “As autoridades estão em processo de avaliar a situação atual.”

Algumas fontes disseram ao Compass que há comentários de que líderes islâmicos indicaram o líder Ali Khamenei para disputar as eleições com o atual presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. Essa notícia traz um mau presságio para os cristãos e as minorias em geral, eles disseram.

“Quando há conflito no governo e divisões, todas as minorias religiosas sofrem”, disse outro iraniano cristão que pediu anonimato. “Se, por exemplo, o aiatolá (Mohammad Taghi Mesbah) Yazdi disser ‘temos que acabar com os cristãos’, como ele disse há algumas semanas, já é o suficiente para os perseguidores irem até as autoridades e pedirem a prisão dos cristãos.”

Yazdi havia sugerido que o governo criasse um sistema central para monitorar e coordenar as atividades e o crescimento do cristianismo no país.

Outra fonte cristã disse que a situação política no Irã é muito complicada, por isso é difícil saber quando haverá detenções ou pressões contra as minorias. A fonte, que pediu anonimato, disse que Yazdi é um dos líderes muçulmanos mais influentes do Irã e recebe ajuda financeira do governo para realizar suas atividades. Neste ano ele recebeu somente uma parte do que ganhou no ano passado. Suas declarações podem ser um pedido por mais dinheiro, disse a fonte.

Os líderes religiosos também atacam publicamente os cristãos que têm se reunido nas igrejas domésticas. Em outubro do ano passado, Khamenei disse que os inimigos do Irã queriam sufocar os valores religiosos e sociais do país através da disseminação de igrejas domésticas cristãs.

Especialistas acreditam que esses ataques públicos contra cristãos, vindo particularmente de Khamenei, resultaram na prisão de mais de 120 cristãos iranianos entre dezembro e janeiro. A maioria dos cristãos detidos eram muçulmanos que se converteram a Jesus.
Tradução: Lucas Gregório


Fonte: Compass Direct Via: http://www.portasabertas.org.br

Deus sabe todas as coisas - Ele é onisciente




"Embora Deus seja poderoso para eles, pensam que Ele não sabe exatamente todas as coisas que ocorrerão no futuro"




O pregador, conferencista e autor americano A. W. Tozer afirmou que a onisciência de Deus é doce, pois "nenhum delator pode informar sobre nós, nenhum inimigo fará uma acusação; nenhum ‘esqueleto’ esquecido virá a desmoronar-se de um armário escondido para nos constranger e expor o nosso passado; nem fraqueza insuspeitada subirá à luz para nos afastar de Deus, pois Ele sabe tudo sobre nós antes de nascermos e chamou-nos a Si mesmo em pleno conhecimento de tudo que era contra nós’’. Pedro humilhado, arrependido e quebrantado disse a Jesus em João 21:17: “Tu sabes todas as coisas, Tu sabes que eu te amo”. Neste sentido, o nosso conhecimento de Deus não vem apenas da sua imagem em nós, mas também como uma resposta ao que Ele já sabe a respeito de nós. Somos importantes para Deus antes mesmo de descobrirmos que Deus é importante para nós. Como Eugene Peterson afirma: “Somos conhecidos antes de conhecermos”.

Deus conhece o futuro e nunca será surpreendido por qualquer coisa que nos aconteça. É ele quem fez a terra com o seu poder, estabeleceu o mundo com a sua sabedoria, e estendeu os céus com o seu entendimento. (Pv. 3:19, Jr. 10:12, 51:15). O apóstolo João declara em sua primeira carta (3:20) que maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas. A soberania de Deus está atada à sua onisciência. Aceite que não haverá momentos onde Deus diga: “puxa, por essa eu não esperava, não sabia que iria acontecer, ou sua decisão pegou-me de surpresa”. Infelizmente, os fãs do teísmo aberto provocam essa insegurança no coração de cristãos desavisados. Embora Deus seja poderoso para eles, pensam que Ele não sabe exatamente todas as coisas que ocorrerão no futuro. Sem dúvida, um deus menor que o Deus altíssimo, criador do universo!

Deus também sabe tudo o que está no seu coração. “Não faleis mais palavras tão altivas, nem saia da vossa boca a arrogância; porque o Senhor é o Deus da sabedoria, e por ele são pesadas as ações” (1Sm. 2:3). Não há nenhum canto escuro ou compartimento secreto que Deus não possa iluminar. Assim você é convidado a abrir sua vida conscientemente ao Seu olhar orando a poesia de Davi no Salmo 139: “Senhor, tu me sondas, e me conheces. Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno”. (Sl. 139:1-3, 23-24)

Tal estado de nudez interior sem uma saudável intimidade com Deus é desesperador. Vivemos tão preocupados com nossas deficiências e fraquezas e sobrecarregados pela culpa psicológica e vergonha social, que nos tornamos propensos ao auto-engano, estratégias defensivas, auto-alienação, antagonismos, dissociações e, em casos extremos, psicose. A partir da necessidade de nos proteger de nossa fragilidade interior, criamos e mantemos defesas tão poderosas; pensamos que somos auto-suficientes e independentes. Tornamo-nos auto-absorvidos em nossa existência cavernosa e individualista. Ao longo da vida, somente quando tocados pelo amor do Pai, aceitamos que Ele nos conhece melhor que nós mesmos. Não haverá segredos para ele. Isso nos dará coragem para encarar a realidade, permitindo que o Espírito Santo, habitante do nosso eu interior, comece a curar, restaurar, reconciliar, baixar nossa guarda, retirar de nós a necessidade guerrilheira do ataque e da defesa, enfim, comprovar que Deus nos aceita pelo que somos.

Pessoas com essa esperançosa atitude de confiança que olha para o futuro, vão achar que as coisas são diferentes em suas vidas. Elas são otimistas, estarão mais aptas fisicamente, são geralmente mais felizes. "Conhecer a Deus e crer que existe um plano e propósito para nossas vidas deveria encher-nos de alegria”, lembra-nos o teólogo e filósofo Dallas Willard. Embora a maioria das coisas esteja fora do seu controle e você certamente experimente níveis variados de sofrimento na vida, é fortemente encorajador saber que Deus sabe tudo o que acontece conosco, Ele está no absoluto controle, está sempre presente com você e faz com que as coisas cooperem para o seu bem, se você for cristão. (Rm. 8:28).

Não é por acaso que se você não estiver disposto a submeter-se ao amor eletivo e tiver dificuldades para aceitar a graçasoberana de Deus, haverá um grande motivo para se questionar se você é mesmo cristão. Mas se você tiver um relacionamento pessoal com Jesus e acreditar que Ele é perfeitamente bom, essas verdades poderão contribuir para uma profunda sensação de conforto e segurança. Tal consciência ajudará você na redução de seu estresse e de muitas das suas dificuldades psicológicas. O perfeccionismo, a sensação da insignificância, complexos de inferioridade, sentimentos de incompetência pessoal bem como patologias clínicas como ansiedades, fobias, transtorno obsessivo-compulsivo e depressão poderão ser impactados pela profunda aceitação da onisciência de Deus. Deus sabe todas as coisas! Deus conhece você

A "neopentecostalização" das Igrejas históricas.



Volta e meia eu recebo emails, scraps, facebooks e twitters de irmãos, membros de igrejas históricas afirmando que suas igrejas saíram do marasmo espiritual e que pela graça de Deus estão vivenciando um grande e significativo avivamento. Segundo estes, os sinais que confirmam o derramamento do Espírito Santo são sobrenaturais, como louvor profético, revelações, quebra de maldições hereditárias, libertação de espíritos territoriais, dentes de ouro, enriquecimento pessoal e muito mais.


Sei da história de gente que por acreditar que estava debaixo de um grande e genuíno avivamento judaizou a fé, instituiu levitas, ordenou apóstolos, derramou de um helicóptero óleo ungido em uma favela do Rio de Janeiro, fez voto de nazireu raspando a cabeça, enterrou Bíblias nos extremos do Brasil, determinou o fim do pecado através de decretos espirituais, criou novas doutrinas fundamentadas em experiências místicas e muito mais.

Há pouco fui pregar numa igreja histórica que por razões diversas manifestou em sua liturgia todo tipo de confusão teológica. Se não bastasse a ênfase judaizante do culto, percebi também que a igreja em questão havia relativizado as Escrituras em detrimento a paganização da fé. Nesta perspectiva, os intercessores tiveram suas mãos ungidas pelo pastor para que pudessem repreender qualquer espírito maligno que porventura se manifestasse naquele lugar. Para piorar a situação, as canções entoadas pelo ministério de música eram extremamente confusas, cujas letras eram sofríveis, burrificadas e desprovidas de saúde teológica.

Em uma outra e famosa igreja histórica ao chegar ao templo deparei-me com o cartaz que dizia: "Venha participar da corrente das portas abertas! Ore conosco por sete semanas e experimente milagres em sua vida cristã". Numa terceira igreja, o pastor orgulhosamente afirmou: Extingui o conselho da minha igreja! Agora sou livre para ouvir as orientações de Deus e conduzir a minha comunidade segunda a vontade do Espírito Santo! Pois é, nesta perspectiva, o culto desta igreja, tornou-se mistico e irracional onde gritarias histéricas se transformaram na marca principal de uma igreja que abandonou nas prateleiras do gabinete pastoral as Sagradas Escrituras.

Falando em pastor, não são poucos os pastores de igrejas históricas que piraram de vez! Há pouco soube de um que abandonou as Escrituras em virtude da psicologia e que acredita que a psicanalise é a melhor maneira de ajudar o membro de sua igreja a superar os dilemas da vida. Soube de outro que preferiu dar ouvidos aos ensinos maniqueístas instituindo cultos de batalha espiritual onde demônios recebem nomes e a cidade é mapeada, isto sem falar naqueles que andam de congresso em congresso buscando revelações escalafobéticas para fazerem as suas igrejas crescerem.

Caro leitor, diante disto ouso afirmar que um número incontável de igrejas históricas se perderam no meio do caminho. Lamentavelmente boa parte destas que deveriam ser proclamadoras das verdades bíblicas abraçaram o neopentecostalismo, jogando na lata do lixo doutrinas fundamentais e indispensáveis a fé cristã.

A conseqûencia direta disto é a proliferação de heresias cuja disseminação tem produzido a apostasia e o esfriamento espiritual de um número incontável de pessoas que dia após a dia se distanciam das Sagradas Escrituras.

Pois é, diante do quadro pintado pelos artistas da apostasia neopentecostal, como também pelos pintores da teologia liberal, sou tomado pela convicção deas igrejas históricas mais do que nunca precisam priorizar as Escrituras, abandonando ao relento ensinos e doutrinas antagônicos a Palavra de Deus.

Isto posto me sirvo das palavras do Principe dos Pregadores, Charles Haddon Spurgeon que costumava dizer: "Eu quero um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento da antiga pregação do evangelho, tal como a de Whitefield e de Wesley. As Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; a queda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentadas em termos inconfundíveis."

Caro amigo, se a igreja deseja vivenciar um avivamento em terras tupiniquins mais do que nunca necessita regressar à Palavra de Deus, fazendo dela sua única regra de fé, prática e comportamento, até porque, somente assim conseguirá corrigir as distorções evangélicas que tanto nos tem feito ruborizar.


Soli Deo Gloria


Fonte: http://renatovargens.blogspot.com

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Que saibam as fundadoras da Comunidade Cidade de Refúgio: “De Deus não se zomba”






Há alguns anos, eu ganhei de um gerente de loja evangélica um videocassete de uma famosa pregadora. O irmão me disse: “Os vídeos dessa irmã estão vendendo muito na rede de lojas. Ela prega muito”. Curioso para conhecê-la e ouvir uma mensagem cristocêntrica, acabei me decepcionando...

Assustei-me com o que vi logo no primeiro minuto da “pregação” e nem assisti ao vídeo todo. A pregadora (pregadora?) imitava os trejeitos de famosos animadores de auditório, e a sua exposição não tinha começo, meio e fim. Não sabendo aplicar bem a simbologia bíblica, ela conseguiu atrelar o precioso sangue de Cristo a uma inundação de poder: “Receeeeba o rio de sangue”.


Sinceramente, gosto muito de ouvir pregadoras que mantêm a sua feminilidade. Deus fez as mulheres sensíveis, delicadas, detalhistas, singularmente inteligentes e cativantes. Mas, assim como é estranho ver um pregador desmunhecando e rebolando, causa espanto assistir a uma pregadora que emprega gesticulação masculina e possui 
voz grossa, masculinizada.

Sem paciência para assistir ao vídeo, fui avançando. Ouvia um pouco e avançava, até que cheguei à parte pior... Depois gritar muito e empregar técnicas de manipulação de plateia do tipo olhe-para-o-seu-irmão-e-diga-isso-e-aquilo, a “pregadora” começou o testemunho que — como todos sabem — era o “carro-chefe” do seu ministério.


Com todos os trejeitos mencionados, a “avivalista” chama à frente o seu marido — ao som de muitos glórias a Deus — e diz que Jesus Cristo havia transformado a sua vida por completo, libertando-a da homossexualidade e dando-lhe uma linda família.

Poucos anos depois, no entanto, a 
“pregadora” teve uma recaída. E, há pouco tempo, resolveu assumir a sua “orientação sexual” e fundar, junto com a sua companheira, a Comunidade Cidade de Refúgio, em São Paulo. Em pouco tempo, migrou da condição de ex-homossexual para a de ex-heterossexual!

Agora, tal “pregadora”, que visitou várias igrejas brasileiras e usou o nome do Senhor 
— em vão, é evidente — para contar o testemunho de que fora liberta do lesbianismo, está afirmando que o “sistema evangélico” a obrigava ser contrária à sua orientação sexual. Em resumo, ela enganou o seu esposo, o povo de Deus e a si mesma. Mas nunca enganou o Espírito Santo!

“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).


Ciro Sanches Zibordi





Fonte:http://cirozibordi.blogspot.com/ 

domingo, 26 de junho de 2011

Ore pelo 19° país da Classificação de países por perseguição


   
 
Alvos de ataques, coptas são maior comunidade cristã do Oriente Médio  
EGITO (19º) - Uma das civilizações mais antigas do mundo e um dos berços do cristianismo, o Egito tem passado por uma reformulação política. Após 30 anos no poder o ditador Hosni Mubarak foi deposto em fevereiro deste ano e o país vive a expectativa de uma política mais igualitária e menos corrupta.

Exageros e intrigas levaram ao aumento das tensões entre cristãos e muçulmanos em 2010. Em novembro, centenas de muçulmanos invadiram uma aldeia cristã, lançaram bombas nas casas e no comércio e feriram cinco pessoas, desfazendo os rumores de um bom relacionamento entre cristãos e muçulmanos. Os cristãos enfrentam muita discriminação e as igrejas estão sujeitas a leis rígidas. Os ex- muçulmanos são rejeitados social e culturalmente. Entretanto, há uma nova abertura para a proclamação do evangelho através da TV via satélite e de sites cristãos árabes.

Pedidos de oração   

• Pelas igrejas locais que servem às comunidades, para que consigam oportunidades de trabalho para os cristãos perseguidos.

• Para que muitos egípcios ouçam a pregação do evangelho através dos canais de TV cristãos e da programação na internet.

• Para que os jovens líderes da Igreja e as mulheres envolvidas no ministério recebam um maior entendimento do poder da oração.

Tradução: Joel Macedo



Fonte: Portas Abertas

O tempo não espera por ninguém!!













Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã acorde com um saldo de R$ 86.400,00. Só que não é permitido transferir o saldo para o dia seguinte.
Todas as noites o seu saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia. O que você faz? Você iria gastar cada centavo é claro!
Todos nós somos clientes deste banco que estamos falando. Chama-se "TEMPO". Todas as manhãs são creditadas para cada um 86.400 segundos. Todas as noites o saldo é debitado como perda.
Não é permitido acumular este saldo para o dia seguinte. Todas as manhãs a sua conta é reinicializada, e todas as noites as sobras do dia se evaporam. Não há volta.
Você precisa gastar vivendo no presente o seu depósito diário.
O relógio esta correndo. Faça o melhor para o seu dia-a-dia.
Para você perceber o valor de "um ano", pergunte a um estudante que repetiu o ano.
Para você perceber o valor de "um mês", pergunte para uma mãe que teve seu bebê prematuramente.
Para você perceber o valor de "uma semana", pergunte a um editor de um jornal semanal.
Para você perceber o valor de "uma hora", pergunte aos namorados que estão esperando para se encontrar.
Para você perceber o valor de "um minuto", pergunte a uma pessoa que perdeu um trem.
Para você perceber o valor de "um segundo", pergunte a uma pessoa que conseguiu evitar um acidente.
Para você perceber o valor de "um milésimo de segundo", pergunte a alguém que venceu a medalha de prata em uma olimpíada.
Valorize cada momento que você tem!
Use o seu tempo para abençoar e servir o próximo e faça tudo para glória de Deus.
1Co.10:31 Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.
Lembre-se, o tempo não espera por ninguém!
Ontem é história. O amanhã é um mistério. Hoje é uma dádiva, Por isso é chamado de PRESENTE.




FONTE: PR.MANOELCORREIA PREGANDO NO ORKUT ! 

A IGREJA NUNCA GANHARÁ O BRASIL PARA CRISTO




Recebi o texto abaixo, de autoria de Maurício Zagari, por email de um grande amigo que é missionário em Munique, na Alemanha. Como estou sem tempo para escrever textos meus (já há algum tempo), resolvi postá-lo por achar pertinente e verdadeiro. Peço desculpas ao autor, mas precisei editá-lo para facilitar a leitura dos sempre apressados visitantes de blog (como eu), porém, a fonte consta logo abaixo e quem preferir lê-lo na íntegra poderá fazê-lo, clicando no endereço do blog apenas1wordpress.com. Boa leitura.
Ouço frequentemente uma conclamação feita nos mais variados recônditos do universo evangélico: Vamos ganhar o Brasil para Cristo!!! Bem, lamento informar, mas nós nunca vamos ganhar o Brasil para Cristo. E antes que você, espantadíssimo com minha falta de fé, me acuse de derrotismo ou mesmo de estar a serviço do mal, deixe-me explicar (...).

1. Aspectos biblicos:

A Bíblia nunca promete que nações inteiras se converteriam ao Senhor em nossos dias. Ela fala: “E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mt 24.14) mas em momento algum promete que isso resultaria em conversões em nível nacional. Anunciar o Evangelho é uma coisa. Ele resultar em conversões é algo bem diferente. (...) a Palavra de Deus é clara ao afirmar que a minoria herdaria o Reino dos Céus: Mt. 7.13, 14; 22.14; Lc. 12.32; 13.23-27; (...) Ou seja: não há na Bíblia nenhuma promessa ou sugestão de que haverá multidões de salvos entrando em nível nacional pelos portões do Céu. Não: a salvação é para poucos. Repare que na parábola do semeador (Mt 13) a maioria das sementes não frutifica, apenas uma pequena parte delas germina e dá frutos. Gostaria que fosse diferente. E termos sempre que fazer de tudo e empreender todos os nossos esforços para que o máximo de pessoas receba a mensagem da Salvação. Temos que pregar o Evangelho a toda criatura. Mas no que tange à Bíblia não posso afirmar o que ela não afirma só porque me faria sentir melhor. A verdade é o que é.
2. Aspectos históricos.

(...) Foi assim no Primeiro e no Segundo Grande Despertamentos dos séculos 18 e 19, por exemplo. Mas minha pergunta é: como estão essas nações hoje?
A verdade nua e crua? Espiritualmente falidas.

Os Estados Unidos, avivados pela pregação de bastiões como Jonathan Edwards e George Whitefield, são hoje um país cristão não-praticante, pérfido, devasso e sem nenhum tônus espiritual, que fez o que fez no Oriente Médio sob a direção de um presidente supostamente evangélico. Um país onde a Igreja tem aceito a ordenação de bispos cuja orientação sexual em outras épocas jamais seria aceita e que inventou a Teologia da Prosperidade. Um país espiritualmemte e moralmente em bancarrota, que exporta para o mundo filmes, programas de TV e músicas abomináveis pela moral bíblica.

Já a Inglaterra, país que na época de John Wesley se viu renovado espiritualmemte, hoje mal se lembra que há um Cristo. No restante da Europa, encontramos países como Espanha e Portugal, com menos de 1% de cristãos reformados. Nos berços da Reforma Protestante, Alemanha e Suíça, a Igreja evangélica tornou-se uma entidade fantasma, com igrejas vazias e nenhuma influência sobre a vida da sociedade (...).

3. Aspectos contextuais (atuais)

(...) A maior parte da Igreja visível no Brasil de hoje é espiritualmente flácida e complacente com o pecado: o comportamento visível dos cristãos diante da sociedade não tem sido muito diferente do comportamento dos não-cristãos. Em geral, somos agressivos, arrogantes, vingativos, mentirosos e egocêntricos. Fraudamos impostos, passamos cheques sem fundos, não honramos nossa palavra. Nossos seminaristas colam nas provas. Não cedemos lugar no ônibus para o idoso, fingimos que não vemos o mendigo, jamais emprestamos o ombro a um órfão sequer e muito menos a uma viúva. Articulamos dentro das igrejas para conseguir ocupar cargos de destaque. Usamos a sexualidade de modo tão mundano como qualquer personagem da novela das oito. Nossas conversas são torpes, falamos mal dos outros pelas costas, jogamos irmãos contra irmãos, contamos anedotas pesadas e fazemos piada com a manifestação dos dons do Espírito Santo. E por aí vai. Uma Igreja assim não tem a menor moral de pregar o arrependimento de pecados para o mundo: primeiro ela própria tem de se arrepender.

● O modelo de igreja predominante no Brasil não forma cristãos sólidos. Como afirmou este ano em uma de suas palestras na Conferência da Sepal o Bispo Primaz da Igreja Cristã Nova Vida, Walter McAlister, o modelo de igreja-show não forma discípulos de Cristo. Enquanto formos aos cultos apenas para assistir a algo que se passa num palco e não para participar; enquanto não nos submetermos a um discipulado radical; enquanto não resgatarmos o papel de família de fé das nossas igrejas, nunca conseguiremos formar cristãos minimamente capazes de viver e compartilhar com eficiência sua fé com uma pessoa, que dirá com uma nação.

● O evangélico brasileiro não gosta de ler. Lidos sob o poder e a iluminação de Deus, livros são o alicerce da transformação. Mas nossos jovens preferem videogames, televisão, internet e no máximo inutilidades como a série “Crepúsculo” do que livros essenciais para a formação de um caráter cristão. E sem uma mente bem formada nos tornamos incapazes de pensar uma nação. Quanto mais transformá-la. O poder de Deus age, mas age por intermédio de seres humanos – que precisam ter bagagem intelectual para explicar e transmitir. E ainda lemos muito menos do que deveríamos. E a qualidade do que lemos, em geral, deixa muito a desejar.

● Somos analfabetos bíblicos. Uma pesquisa recente feita entre os líderes de jovens de certa denominação mostrou que menos de 30% deles tinham lido a Bíblia toda. Repare: estamos falando de líderes! Aqueles que deveriam ensinar os outros! Se não lemos, não conhecemos, e se não conhecemos… o que vamos pregar? Nossa teologia é formada a partir daquilo que ouvimos em corinhos, assistimos em péssimos programas evangélicos de TV, lemos em frasezinhas soltas no twitter e em adesivos de automóveis. Mas são poucos os que realmente se dedicam ao estudo sistemático e aprofundado das Escrituras. Então vamos ganhar o Brasil pra Cristo, mas… que Cristo? Se não conhecemos o Cristo segundo as Escrituras o apresentam, que Cristo é esse que estamos pregando? Se não entendemos a Palavra por não conhecê-la, que Palavra é essa que estamos pregando? Sem conhecer a Bíblia não temos absolutamente nada a oferecer em termos espirituais à nação.

● Grande parte da Igreja evangélica brasileira é egocêntrica. Ora por si e pelos seus. Pede bens materiais, emprego, carro e casa própria em suas orações. Quer a cura de suas enfermidades. Mas não se dedica muito a interceder pelo próximo, orar pelo arrependimento dos pecados e buscar sanar os males da sociedade. Não ora pelos pobres. Não estende a mão ao faminto. Não olha para o próximo. Não se devota. Não considera o outro superior a si em honra. E ganhar uma nação para Cristo exige olhar, antes de tudo e antes de si mesmo… para a nação.

● A Igreja está hedonista. Quer prazer. Quer alegria. Quer ser feliz da vida. Quer emoção. Que louvores vazios, mas emocionantes. Quer cantores carismáticos, mesmo que pouco espirituais. Quer shows e não momentos de intimidade com Deus. Quer se sentir bem. Quer culto que atenda às suas necessidades. Quer pregações que a faça sorrir. Quer enriquecer e ter uma vida abastada. Só que antes de ganhar uma nação para Cristo temos que chorar muito, nos humilhar, esquecer o que nos faz bem e buscar o que faz bem à nação. E orar. Orar! A Igreja hoje celebra muito, canta muito… mas ora de forma mirrada, esquelética. Só que pouca oração e muita celebração não farão nação alguma se converter. Se ganharmos o país para esse modelo de cristianismo o que faremos é transformar o Brasil numa grande rave gospel, com festa atrás de festa, celebração após celebração e pouca ou quase nenhuma vida íntima com Cristo.

● Grande parte da Igreja tem pregado um evangelho mentiroso. O que se tem divulgado é um Jesus fictício, complacente, eternamente alegre e exultante, que nos garante “plenitude de alegria, todo dia”. Mas o Cristo de verdade quer que tomemos nossa cruz para segui-lo. Que morramos para nós mesmos. Que deixemos pai e mãe para ir após Ele. Mas a nação não quer fazer nada disso. E para ganhar a nação para Cristo ela tem que saber que terá de abrir mão de muita coisa, de esvaziar-se de suas vontades e desejos e seguir um caminho de renúncia e muitas vezes de sofrimento. Ganhar a nação para Cristo significa propor a ela: tome sua Cruz e siga-me. Arrependa-se de seus pecados, abra mão de seu eu e mude de vida. Honestamente: é isso que temos pregado?

● A Igreja está dividida. A Palavra nos diz que “Se um reino estiver dividido contra si mesmo, não poderá subsistir” (Mc. 3.24). Mas, deixamos nossas paixões denominacionais suplantarem a unidade. Nós, pentecostais, fazemos piada com os tradicionais. Os tradicionais ridicularizam os pentecostais. Menosprezamos (todos nós) os neopentecostais. Tornamos-nos “anti” qualquer coisa que não sejamos nós mesmos. Nas tentativas de unir a Igreja perde-se tempo com discussões inócuas e vaidosas. Esquartejamos o Corpo de Cristo. E ainda assim queremos acrescentar uma nação inteira a esse Corpo? Como? Se não depusermos as hostilidades e buscarmos a unidade – verdadeira e sincera – uma nação ganha para Cristo sob esses moldes de igreja desunida seria um grande frankenstein.

● Nossas motivações são equivocadas. Queremos ganhar o Brasil pra Cristo não por amor às almas perdidas, mas sim para garantir nosso galardão no céu ou para finalmente fazermos parte do clube que representa a maioria e não a minoria. Queremos é estar por cima. Falta-nos, mais do que amor pelo Brasil, amor por cada brasileiro.

● Estamos tentando avançar na sociedade utilizando cargos políticos e legislações. Queremos ganhar o Brasil não para Cristo, mas para projetos de poder mascarados de cristianismo. E isso elegendo políticos supostamente comprometido com o Evangelho, fazendo marchas e protestos, usando de politicagens e chantagens políticas e organizando lobby no Planalto. E nada disso são armas espirituais. Nada disso nunca vai, de modo algum, glorificar o Senhor. Apenas cumprirá uma agenda política e nada mais.

(...) Precisamos de um milagre. É caso de vida ou morte. E morte eterna. Precisamos nos arrepender dos caminhos pop e egoístas que estamos trilhando. Precisamos voltar a orar com um coração generoso. Precisamos nos humilhar. Precisamos clamar por misericórdia. Precisamos parar de tentar vencer o mundo no peito e na raça e tentar vencer, antes de qualquer outra coisa, nossas próprias concupiscências com o rosto no pó e os joelhos calejados. Essa luta não se vence com gritos, protestos, marchas, lobbies políticos e partidarismos, mas com lágrimas. Até caírem as escamas de nossos olhos e enxergarmos a dimensão espiritual que existe por trás da cortina da matéria continuaremos agindo como o servo de Eliseu, que não via o exército celestial do lado de fora de sua casa e desejava agir segundo os métodos do mundo e não os do Espírito.
Até lá, antes de pensarmos em ganhar o Brasil para Cristo, deveríamos nos preocupar em ganhar a nós mesmos para Ele. E isso diariamente. Pois é mediante a transformação pessoal, de um a um, alma a alma, no campo do micro, que alcançaremos o macro. Caráter. Espiritualidade. Intimidade com Deus. Estudo aprofundado das Escrituras. Leitura de autores sérios. Menos exultações e mais contrição. Amor ao próximo de fato, comprovado em atos. Sem atitudes como essas, ganhar a nação para Cristo é um sonho distante. E, honestamente, impossível.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

 Fonte:http://apenas1.wordpress.com/2011/06/17/nunca-ganharemos-o-brasil-para-cristo/ Via: http://pastorguedes.blogspot.com



Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!


Em torno da causa gay





        Ruy Fabiano é jornalista


Toda a campanha em favor da causa gay, e que orienta a aprovação do projeto de lei 122, em tramitação no Senado, parte de uma mesma premissa: haveria, no Brasil, um surto de homofobia – isto é, hostilidade e ameaça física aos gays.
A premissa não se sustenta estatisticamente. Os números, comparativamente aos casos gerais de homicídios anuais no país – cerca de 50 mil! -, são irrelevantes.
Segundo o Grupo Gay da Bahia, de 1980 a 2009, foram documentados 3.196 homicídios de homossexuais no Brasil, média de 110 por ano.
Mais: não se sabe se essas pessoas foram mortas por essa razão específica ou se o crime se deu entre elas próprias, por razões passionais, ou pelas razões gerais que vitimam os outros 49 mil e tantos infelizes, vítimas do surto de insegurança que abala há décadas o país.
Se a lógica for a dos números, então o que há é o contrário: um surto de heterofobia, já que a quase totalidade dos assassinatos se dá contra pessoas de conduta hetero.
O que se constata é que há duas coisas distintas em pauta, que se confundem propositalmente e geram toda a confusão que envolve o tema.
Uma coisa é o movimento gay, que busca criar espaço político, com suas ONGs e verbas públicas, ocupando áreas de influência, com o objetivo de obter estatuto próprio, como se opção de conduta sexual representasse uma categoria social.
Outra é o homossexualismo propriamente dito, que não acrescenta nem retira direitos de cidadania de ninguém.
Se alguém é agredido ou ameaçado, já há legislação específica para tratar do assunto, independentemente dos motivos alegados pelo agressor. Não seria, pois, necessário criar legislação própria.
Comparar essa questão com o racismo, como tem sido feito, é absolutamente impróprio. Não se escolhe a raça que se tem e ver-se privado de algum direito por essa razão, ou previamente classificado numa categoria humana inferior, é uma barbárie.
Não é o que se dá com o homossexualismo. As condutas sexuais podem, sim, ser objeto de avaliação de ordem moral e existencial, tarefa inerente, por exemplo (mas não apenas), às religiões.
Elas – e segue-as quem quer – avaliam, desde que existem, não apenas condutas sexuais (aí incluída inclusive a dos heterossexuais), mas diversas outras, que envolvem questões como usura, intemperança, promiscuidade, infidelidade, honestidade etc.
E não é um direito apenas delas continuar sua pregação em torno do comportamento moral humano, mas de todos os que, mesmo agnósticos, se ocupam do tema, que é também filosófico, político e existencial.
Assim como o indivíduo, dentro de seu livre arbítrio, tem a liberdade de opções de conduta íntima, há também o direito de que essa prática seja avaliada à luz de outros valores, sem que importe em crime ou discriminação. A filosofia faz isso há milênios.
Crime seria incitar a violência contra aqueles que são objeto dessa crítica. E isso inexiste como fenômeno social no Brasil. Ninguém discute o direito legal de o homossexual exercer sua opção. E a lei lhe garante esse direito, que é exercido amplamente.
O que não é possível é querer dar-lhe dimensão que não tem: de portador de direitos diferenciados, delírio que chega ao extremo de se cogitar da criação de cotas nas empresas, universidades e partidos políticos a quem fez tal opção de vida.
Mesmo a nomenclatura que se pretende estabelecer é falsa. A união de dois homossexuais não cria uma família, entendida esta como uma unidade social estabelecida para gerar descendência e permitir a continuidade da vida humana no planeta.
Casamento é instituição concebida para organizar socialmente, mediante estatuto próprio, com compromissos recíprocos, a geração e criação de filhos.
Como aplicá-lo a outro tipo de união que não possibilita o que está na essência do matrimônio? Que se busque então outro nome, não apenas para evitar confusões conceituais, mas até para que se permita estabelecer uma legislação que garanta direitos e estabeleça deveres específicos às partes.
Há dias, num artigo na Folha de S. Paulo, um líder de uma das muitas ONGs gays do país chegou a afirmar que a heterossexualidade não resultaria da natureza, mas de mero (e, pelo que entendi, nefasto) condicionamento cultural, que começaria já com a criança no ventre materno.
Esqueceu-se de observar que, para que haja uma criança no ventre materno, foi necessária uma relação heterossexual, sem a qual nem ele mesmo, que escrevia o artigo, existiria.
Portanto, a defesa de um direito que não está sendo contestado – a opção pelo homossexualismo – chegou ao paroxismo de questionar a normalidade (e o próprio mérito moral) da relação heterossexual, origem única e insubstituível da vida. Não há dúvida de que está em cena um capítulo psicótico da história.


Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=388164&ch=n

sábado, 25 de junho de 2011

Ore pelo Paquistão e sua grande perda



Missão Portas Abertas - Servindo cristãos perseguidos


ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA (*) - O assassinato de mais um cristão no Paquistão gerou uma comoção e manifestações diversas nos últimos dias e o diretor da Portas Abertas Estados Unidos Carl Moeller declarou que "esta foi uma perda inesperada".


Com declarações polêmicas, marcantes e intrigantes, o ministroShahbaz Bhatti chegou a afirmar: "Eu vivo pela minha comunidade e pelos que sofrem, e morrerei para defender meus direitos".

Bhatti, um irmão em Cristo e ministro dos Assuntos Minoritários no Paquistão, se tornou a vítima mais recente na batalha pela liberdade religiosa. Ao deixar a casa de sua mãe, foi emboscado em seu carro; baleado, Bhatti foi declarado morto ali mesmo.

Uma perda inesperada de alguém tão amado e respeitado por cristãos e por minorias em todo o Paquistão, e até mesmo no mundo.

Segundo declarações de Moeller: “Bhatti foi um sincero defensor dedicado às minorias, corajoso e destemido na defesa dos seus direitos.”

Nos últimos meses o ministro recebeu ameaças de morte e admitiu que ele era "o maior alvo agora" desde o assassinato de janeiro em Punjab do governador Salman Taseer. Mesmo sabendo que sua vida estava em risco, Bhatti prometeu continuar seu trabalho por causa da cruz.

"Estou profundamente chocado", declarou o Irmão André que conhecia Bhatti. "Nós perdemos um ser humano valioso, mas não a esperança. Deus ainda está no Paquistão. Ele está construindo a Sua Igreja e terminará a Sua obra, assim como a Bíblia promete."

Citando a oração de Neemias (Ne 1.4-6), Carl Moeller convoca a Igreja a orar por todos os afetados por esta trágica perda.

Pedidos de oração

Ore pelo país;
Ore pelo novo ministro dos Assuntos Minoritários , para que seja conduzido pelo Senhor;
Ore pelos cristãos paquistaneses e pelas minorias religiosas.


Tradução: Carla Priscilla Silva

* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.


Fonte: Portas Abertas Estados Unidos

O EVANGELHO DE JESUS NÃO É TÃO CARO ASSIM.

Mt.7:15 Acautelai_vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, säo lobos devoradores.



1 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduziräo encobertamente heresias de perdiçäo, e negaräo o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdiçäo.
2 E muitos seguiräo as suas dissoluçöes, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
3 E por avareza faräo de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo näo será tardia a sentença, e a sua perdiçäo näo dormita.







Paulo disse:

Gl.1:8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.


Fonte: PR.MANOELCORREIA PREGANDO NO ORKUT ! 

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Jeronymo Pedro Villas Boas e a questão do casamento gay










O juiz que trabalhou visando cancelar a casamento gay em cartório de Goiânia é um pastor da Assembleia de Deus.

O magistrado veio à cidade de São Paulo, na tarde de quinta-feira, 23 de junho, acompanhado do senador Magno Malta. Ambos compareceram na Marcha Para Jesus, evento que segundo a Polícia Militar ultrapassou a marca de 1 milhão e meio de pessoas. Villas Boas recebeu apoio de parlamentares evangélicos e de lideranças evangélicas importantes... Se quiser, poderá transformar-se em mais uma eminência política a defender a família em parlamentos do Brasil. Talvez como senador, ou deputado federal, ou estadual ou vereador.

Magno Malta, criticando o Supremo Tribunal Federal bradou: "Para nós, os crentes, Supremo é Deus!" E a multidão o aplaudiu. Neste momento, o juiz Jeronymo Pedro Villas Boas estava ao lado dele.

E diante desse quadro, já surgiram até ativistas homossexuais de Portugal a me interpelar. A tal pessoa disse que o magistrado é poleiro... Esse lusitanismo é expressão que acusa uma pessoa de ser interesseira.


Eu penso diferente. É uma oportunidade que interessa. Coisa parecida, mas jamais igual.


É aquela questão de escolher a pessoa que se candidata prometendo se engajar e fazer e votar em outra que já está engajada na causa e fazendo. Jerônymo Pedro Villas Boas mostrou que é alguém de pulso firme, e é isso que os cristãos, evangélicos e católicos, procuram.

Casamento homossexual: de que lado você está?

Essa questão passa pela interpretação da Bíblia Sagrada.

Do lado esquerdo estão aqueles que fazem interpretações liberais das Escrituras, juntos com os que detestam as Escrituras e todas as religiões. E do lado direito estão todos os que defendem sua fé e amor aos Textos Sagrados.

O cerne de tudo isso é que a Palavra de Deus criou a figura do casamento, sendo a composição dele um macho para uma fêmea. Não foram feitos casais macho com macho e fêmea com fêmea.

Esse pessoal que é contra a figura bíblica do matrimônio não conhece a Bíblia Sagrada com o grau de conhecimento que deveriam. Se eles procurassem ter ao menos alguma noção do hebraico, saberiam que a etimologia do nome Eva (hayyã), a primeira mulher, remetido ao idioma original do Antigo Testamento, é "vida / com vida". E o nome Adão ('ãdhãm) é "humanidade".

Ora, parece uma declaração sensacionalista, mas é verdade: a tendência do casamento que não é a união de um homem com uma mulher leva a humanidade para a morte.

E ao falar em morrer - antes que os homossexuais digam que sou homofóbico - esclareço que não estou incitando nenhuma espécie de violência. Remeto-me outra vez à etimologia bíblica: morte signica "separação" (Gênesis 2.17; Romanos 5.14). Em grego: "thanatos" , derivação de "thnḗskō", que por seguinte denota e conota tanto a morte física quanto a espiritual; representa a separação da vida (salvação) de Deus no porvir.

O casamento gay é a separação conjugal do homem com a mulher, é a separação do ser humano com Deus.
E.A.G.


Artigo liberado para cópias por todos os meios, desde que não seja copiado para fins comerciais e sejam citadas autoria e fonte de coleta. Eliseu Antonio Gomes / UBE Blogs - http://www.ubeblogs.net/







DEUS É FIÉL!!





Mt.6:25 Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?

26 Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?



Mt.6:28 E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;

29 E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?

NÃO PRECISA FICAR PREOCUPADO (A) COM O QUE HAVEIS DE COMER OU VESTIR, POIS ASSIM COMO TODOS OS DIAS DEUS ALIMENTO OS PÁSSAROS E VESTE OS LIRIOS COM UMA ROUPAGEM TÃO LINDA E CHEIROSA, ASSIM ELE TAMBÉM CUIDA DE TI, POIS VOCÊ É A IMAGEM E SEMELHANÇA DELE. AFINAL ESTA É PROMESSA DO NOSSO JESUS PARA NÓS.





Fonte: PR.MANOELCORREIA PREGANDO NO ORKUT ! 

quinta-feira, 23 de junho de 2011

INDIGNO,MAS AMADO!!!







"A seguir,levantou-se e foi para seu pai.
Estando ainda longe,seu pai o viu e,cheio de compaixão,correu para seu filho,e o abraçou e beijou." ( Lucas 15. 20 )
Esta parábola que Jesus contou para seus discípulos ilustra fielmente o GRANDE AMOR DE DEUS PARA CONOSCO.
O filho pródigo representa cada um de nós,com seus pormenores,e também suas esquisitices.
O que levou aquele filho para longe do pai não foi somente a certeza de vida regalada e sem regras;foi na verdade,o pecado,que tão de perto o rodeava e também nos rodeia.
O pecado está em nós e isso é que nos impele a fugir da presença do Pai.
A casa do Pai é confortante demais para nossos abrutalhados desejos carnais;queremos,desejamos e flertamos,quase sempre,com aquele que tem apenas um propósito na nossa vida:nos matar!
Mas,do outro lado está o Pai:amoroso,justo,fiel,incansável,e que não desiste de nós;antes vela por cada um de nós com um amor imensurável.
Eu sou feliz,pois o que deveria fazer Deus se afastar de mim,com ódio mortal;faz com que Ele me olhe com seu olhar amoroso e seu coração cheio do perdão e da misericórdia,me convida a entrar em sua casa para,mais uma vez,desfrutar da sua maravilhosa presença e poder ouvir sua voz.
OBRIGADO DEUS PAI.OBRIGADO SENHOR JESUS.OBRIGADO AMADO ESPÍRITO SANTO POR SUA GRAÇA,AMOR,MISERICÓRDIA E PAZ QUE TODOS OS DIAS POSSO DESFRUTAR.

SOU INDIGNO SIM,MAS MUITO AMADO POR DEUS.

GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS,POR ISSO!!!

E VOCÊ,SE SENTE INDIGNO? ENTÃO SAIBA QUE ÉS MUI AMADO NO CÉU.


GRAÇA E PAAAAAZZZZZZ E QUE DEUS DERRAME SOBRE TI E OS SEUS,MAIS GRAÇA,MAIS MISERICÓRDIA E MUITA PAZ,EM NOME DE JESUS!!!

BY,PR. RIVELINO



Fonte: http://pastorriva.blogspot.com

Líder cristã presa está com saúde debilitada





              Culto em igreja não-registrada na China

CHINA (16º) - Um dos dez cristãos chineses da igreja doméstica, condenados no final de 2009 à prisão e ao campo de trabalhos forçados, recebeu liberdade condicional devido à grave deterioração de sua saúde, segundo relatórios da Christian Solidarity Worldwide (CSW). Sua sentença veio como supressão do governo de Shanxi, no norte da China.

A libertação de Yang Caizhen foi um pedido do diretor da prisão onde ela estava presa, pois cuidar dela seria um gasto a mais para a prisão. Ela foi, portanto, libertada para ser tratada por sua família, e agora está em casa, sendo cuidada pela mãe, pelo irmão e por sua cunhada. No campo de trabalho forçado, Yang era obrigada a trabalhar todos os dias, das 6 da manhã até às 11 da noite, sem receber nenhum cuidado com relação à sua saúde.

Em fevereiro de 2011, Yang começou a sentir febre e relatou dor em todo o seu corpo. A clínica da prisão deu-lhe antibióticos e a febre passou. No entanto, ela perdeu o apetite, a febre voltou e os tratamentos pararam de surtir efeito. A radiografia no tórax e o exame de sangue concluíram que ela estava com a saúde fraca e com febre, por causa de uma inflamação no fígado.

Três dias após ser libertada para ser tratada pela própria família, Yang já não conseguia mais falar. Seu irmão a levou até o hospital de Xi’an, a nove horas de distância de sua casa e depois ainda teve de pagar a estada dela no hospital, pois o governo não pagaria. Quando chegaram, os médicos disseram que seu estado era grave e que qualquer demora em fazer o tratamento poderia levá-la à morte. Yang permaneceu no hospital por mais de duas semanas, antes de voltar novamente para casa.

Em setembro de 2009, a CSW informou que cerca de 400 policiais militares e civis atacaram membros das igrejas domésticas em Linfen, que estavam dormindo em um edifício de uma igreja quase terminada. Mais de 100 pessoas ficaram feridas, sendo que dezenas foram gravemente feridas. Duas semanas mais tarde, os líderes de diversas igrejas, incluindo Yang Caizhen, foram presos a caminho de Pequim, quando tentavam denunciar formalmente o ataque sofrido.

Defensores da liberdade religiosa na China protestam e continuam a aumentar a pressão sobre representantes políticos e autoridades internacionais, para que façam alguma coisa para resolver os problemas daqueles que são assediados e atacados por sua fé.


Tradução: Lucas Gregório


Fonte: Christian Solidarity Worldwide Via: http://www.portasabertas.org.br






Senador Evangélico Magno Malta Recebe Apoio de Transexual


O senador evangélico Magno Malta (PR), depois de ter anunciado renunciar caso o PL 122 fosse aprovado, recebeu o apoio do vereador transexual do mesmo partido Moacir Selia.
Magno Malta
(Foto: Site Magno Malta via The Christian Post)

Na semana passada, o senador Magno Malta (PR) anunciou que abriria mão do mandato caso “a criação de um terceiro sexo” fosse aprovada. Malta fez essa afirmação em referência ao projeto de lei 122, que criminaliza a discriminação motivada só pela orientação sexual ou identidade de gênero.
No material disponibilizado no site do senador encontra-se a seguinte declaração: "Em defesa dos valores agregados no coração da família brasileira, renunciarei meu mandato se o PL 122 for aprovada".
Apesar de ser uma posição radical que incomodou a muitos, principalmente do grupo de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT), o vereador transexual “Moa”, como é chamado, saiu em defesa do colega partidário.
“Ele me respeita como eu sou. A forma que ele tem de ver o mundo é uma, a minha é outra, mas a convivência é feita com muito respeito", afirmou ele segundo a Gazeta.
De acordo com a publicação, Moa, além de afirmar que as declarações de Magno não são ofensivas, disse também que o senador republicano é vítima de preconceito da sociedade e, principalmente, da comunidade LGBT.
"Os movimentos o discriminam muito mais. Apesar de estar na luta desde 1980 com minha transexualidade assumida, sofro discriminação dentro do grupo LGBT, só pelo fato de eu ser filiada ao PR", disse Moa.
Magno Malta, através de sua assessoria de imprensa, declarou que Moa “é um travesti de muito respeito”. O vereador, que tem seu comportamento assumido há três anos, falou ainda que “ele [Magno Malta] já esteve” em sua casa e que “teve a oportunidade de conhecer um lar comandado por uma transexual”.
Na mesma entrevista Moa, o único transexual do Espírito Santo, criticou a decisão presidente Dilma Rousseff (PT) de cancelamento dos Kits contra homofobia nas escolas.
“Se a presidente Dilma tivesse vetado antes do caso Palocci, mostrando fundamentos, a comunidade LGBT teria ficado ao lado dela. Da forma com que aconteceu, vejo que Dilma virou as costas e ‘deu um tapa’ na cara de toda a categoria. Como ela só viu que havia algo errado agora?”
Alguns colegas de partido do senador Magno Malta apoiaram sua atitude, enquanto outros alegam que sua atitude foi somente porque ele, durante as articulações, já teria recebido algum sinal de que o projeto de lei não sairá do papel.
"Talvez o senador tenha tanta certeza de que esse projeto não será aprovado que fez essa proposta. Para dizer uma coisa dessas, é preciso ter muita certeza de que a coisa não vai dar certo", sugeriu o deputado estadual José Esmeraldo (PR).
O Paulo Antenor, primeiro suplente de Magno, saiu em defesa do senador. "Serei o primeiro a defender que Magno não renuncie. Quero muito ser senador, mas não deste modo", finalizou.
Via The Christian Post
Extraído: http://www.hospitaldalma.com/2011/06/senador-evangelico-magno-malta-recebe.html

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Dedicação de voluntários faz diferença em Belém do Pará






Dando a vida na Tenda

Dedicação de voluntários faz diferença em Belém do Pará
Na Tenda da Esperança, ser voluntário é mais que atuar em um projeto social. Os voluntários têm a oportunidade de conhecer de perto as necessidades dos moradores de Belém e dos romeiros que vêm de outros estados para participar do Círio de Nazaré. Cada participante recebe por meio das experiências vividas no projeto a visão da urgência da evangelização e uma grande porção de compaixão.

Para o pastor Antonio Carlos Soares, que tem apoiado a Tenda da Esperança disponibilizando a Igreja Batista Equatorial, PA, para ser usada como base do projeto, a Tenda é uma grande oportunidade de se envolver com a comunidade.  "Insisto com minha igreja no evangelismo a partir dos relacionamentos que estabelecem pontes entre o povo e a igreja. Vale à pena participar da Tenda da Esperança por dois motivos básicos: além do efeito didático do aprendizado da estratégia da Tenda como modelo de evangelização, a experiência missionária adquirida por cada crente que dela participa é fabuloso!".

Alguns voluntários já viraram "figurinhas carimbadas" da Tenda. A presença deles se confundem com a história do projeto. Um deles é Francisco Claudio da Silva ou - como é mais conhecido - palhaço Picolé. Sua vida serve de inspiração aos que participam pela primeira vez. Há 17 anos servindo a Deus na Tenda da Esperança, soma à equipe de evangelização de crianças no espetáculo do circo.  Sempre que participa da Tenda, nega diversas propostas de trabalho para se dedicar à Obra. Longe de ser uma estrela, com seu coração voluntário e desprendido de servo, está disponível para os trabalhos mais simples.

Wander da Silva - IB Betel, SP  - é outro que colocou a Tenda no calendário de seu coração. Desde 2007, ajuda o pastor Valdinei na montagem da lona circense, tendo que chegar ao local uma semana antes do início do projeto a fim de que tudo esteja preparado. Além disso, faz a alegria da garotada quando, nas programações, vira o palhaço Pimpão. "Eu me apaixonei pelo projeto e minha alegria é saber que eu monto a tenda para abrigar pessoas que vêm ouvir falar de Jesus; portanto, meu trabalho abençoa vidas".

Sob o sol escaldante ou nas madrugadas da BR. Com os voluntários da Tenda não há tempo ruim. Alguns chegam a sofrer na pele por amor ao Evangelho, como foi o caso de uma voluntária que foi agredida ao testemunhar de Cristo a uma família. A agressora a atingiu no rosto com uma sandália. 

Moradores de Belém recebem atendimento social na Tenda
Apesar das dificuldades, é unânime o pensamento de que vale a pena investir em missões e ouvir da boca de pessoas simples, como Maria do Socorro, palavras como: "Eu já conhecia a Tenda e a nossa comunidade precisa muito desse apoio. Cheguei aqui hoje um pouco tarde, mas já fui atendida". Ou a de Cleide Nazaré, que pela primeira vez recebeu atendimento na Tenda:"Gostei muito do atendimento, mas eu não conhecia a Tenda... os médicos tratam a gente muito bem."
Matéria referente ao trabalho missionário realizado em 2009 pela tenda da esperança da Jmn.

FONTE: http://www.jmn.org.br
FONTWE: 

LANÇAMENTO DO MEU LIVRO, EM BREVE

Postagens Recentes