quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Fruto proibido e inocência perdida!

 Resultado de imagem para adão e eva

 Tente imaginar como foi o pior momento da história da raça humana. Adão e sua esposa, Eva, em pé, diante do maravilhoso Jardim do Éden. Banidos. Um anjo com uma espada flamejante garantindo que jamais desfrutassem novamente das caminhadas e conversas com DEUS, da terra sem espinhos ou do delicioso fruto da arvore da vida. Privados para sempre das agradáveis sensações de alegria e segurança que haviam sentido no jardim do Éden. Em lugar desses sentimentos, Adão e Eva eram agora perseguidos por terríveis lembranças de culpa, medo e vergonha.

PARAÍSO PERDIDO

  Por um simples ato de rebeldia contra DEUS, Adão e Eva declararam sua independência. Fizeram muito mais do que simplesmente comer um pedaço do fruto proibido. Num nível mais profundo, eles afrontaram a clara ordem dada por seu Criador. Deram ouvidos a sedutora voz do tentador e sucumbiram em seu próprio orgulho. Desafiaram abertamente o direito que o Todo-Poderoso DEUS tinha de guiar e dirigir suas vidas, quando optaram por exercer poder e autoridade sobre suas próprias vidas.

  As consequências daquela decisão tão deplorável foram catastróficas: maldição, morte, tristeza, e uma vida de dor e arrependimento, não apenas para eles, mas para todos os seus descendentes.
  Em algum momento, Adão e Eva ainda lançaram um último olhar para o jardim e, então, seguiram em frente. Estavam calados? Quem falou primeiro? Será que culparam um ao outro? Ou será que caíram nos braços um do outro?.

O PRESENTE DA ESPERANÇA


Ao refletirem sobre os terríveis e derradeiros momentos no jardim, talvez eles tenham pensado na tristeza da voz de DEUS ao perguntar "onde estás?" A maldição sobre a serpente também deve ter ecoado em seus ouvidos (Gn 3.14,15). De acordo com o que DEUS dissera, a serpente ainda causaria mais dor e sofrimento a raça humana, mas, no final, seria esmagada pela descendência de Eva. Havia um pequeno raio de esperança, uma pequena luz de uma promessa de que o paraíso não ficaria perdido para sempre, uma promessa de um libertador e salvador (cumprida em JESUS CRISTO; veja Gl 3.16,19-26).

  Talvez tenha se lembrado de como o SENHOR graciosamente lhes providenciara agasalho pouco antes da sua partida - uma amostra do amor e da misericórdia de DEUS. Devem ter logo persebido que a perda ocorrida no Éden era tanto deles quanto de DEUS. Quanto mais refletissem, mas ficariam convencido de que DEUS queria restaura-los para si. A longa espera pela salvação prometida por DEUS havia começado.
  Hoje ao contrario de Adão e Eva, não precisamos mas esperar. O dia da salvação já chegou (2 Co 6.2). JESUS já veio para nos salvar de nossos pecados. Se você crer nele, poderá ser reconciliado com o seu CRIADOR hoje mesmo, olhando para a vida futura com ele no paraiso (veja Jo 3.16 e Ap 2.7 para conhecer as promessas de DEUS referentes a vida eterna).


                 DEUS abençoe a todos!!


Fonte: Bíblia de Revelação Profética - Almeida Revista e Corrigida - Sociedade Bíblica do Brasil.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O cantico do pastor



                  O cantico do pastor (Salmo 23)


DEUS, o Pastor

  Davi passou os anos de sua mocidade levando rebanhos a pastos mais verdes e protegendo-os do perigo.
para Davi, usar a ilustração do pastor de ovelhas era algo perfeitamente natural. "O Senhor é o meu Pastor" (Salmos 23.1) foi a forma que Davi encontrou para dizer que "O SENHOR me da o que preciso e me livra de todos os perigos".
  Ao escrever "O SENHOR é", Davi se refere ao DEUS que era, que é e que sempre será. Ao depararmos com as dificuldades da vida, precisamos saber que "DEUS é". Quando vem o câncer, ele é Jehovah-Rapha, aquele que cura. Quando a preoculpação nos consome, ele é Jehovah-shalom, o Pacificador. Quando satanas nos ataca com falsas acusações, ele é Jehovah-Nissi, o guerreiro espiritual.


O Pastor anda com as ovelhas

  Ao contário dos deuses filisteus de madeira, pedra ou ferro, Davi descreve DEUS como um salvador pessoal ao chama-lo de "meu pastor" (V.1). Ao contrário de objetos frios e sem vida, o pastor anda pelo campo com suas ovelhas, cuidando de todas as suas necessidades. Davi aprendeu que, independente das circunstancias, nada lhe faltaria (v.1). Quando o leão rugiu contra Davi, DEUS o protegeu. Quando o urso veio devorar Davi, DEUS foi seu escudo. Quando Golias riu do rapaz e de suas pedras, DEUS deu poder ao jovem. Em todas as dificuldades, DEUS nos ajuda a encontrar descanso e refrigério, levando-nos aos "verdes pastos" a as "águas tranquilas" (Salmos 23.2).
  Quando nos desviamos, DEUS nos puxa de volta para o rebanho, dando-nos outra chance de nos relacionarmos com ele (Salmos 23.3). Não há nada que façamos que seja dificil demais para DEUS perdoar (1João 1.9).


O pastor protege

  Davi não tinha medo de caminhar "pelo vale da sombra da morte" (Salmos 23.4). Ele sabia que DEUS estaria com ele e o protegeria.
  "Unges a minha cabeça com óleo" (Salmos 23.5) pode se referir a unção de Davi, mais provavelmente se refere ao óleo que os pastores usavam para colocar sobre os arranhões e ferimentos, que os animais sofriam nas rochas e nos espinhos do campo. O óleo afastava os parasitas e as infecções. Quando nos vemos arranhados e feridos, podemos deixar JESUS nos ungir com o seu óleo para nos proteger.

O pastor é eterno

  Davi tinha certeza que a bondade e a misericórdia de DEUS o seguiriam "todos os dias da minha vida" (Salmos 23.6). JESUS também usou a analogia do pastor, quando disse: "Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas." (João 10.11).
  Precisamos fazer a seguinte pergunta a nós mesmos: "Eu conheço o bom pastor e sou conhecido por ele?" (veja João 10.14-15). Podemos ter a mesma confiança de Davi, sabendo que passaremos toda a eternidade no céu vivendo em verdes pastos, com o bom pastor cuidando de cada uma de nossas necessidades.


                              DEUS abençoe a todos!!!

Fonte: Bíblia de Revelação profética - Almeida Revista e Corrigida - Sociedade Bíblica do Brasil.



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Maçonaria e Símbolos Ocultistas




Dentro dos rituais maçônicos predominam os símbolos ocultistas. O triângulo é a figura geométrica que dá origem à pirâmide e ambos são parte da simbologia maçônica. O triângulo é símbolo da luz. Como o vértice para cima representa o fogo e a virilidade. Com o vértice para baixo representa a água e o sexo feminino. O triângulo equilátero é usado como símbolo da divindade maçônica e representa os três atributos divinos: força, beleza e sabedoria, e também os três reinos: mineral, vegetal e animal. O triângulo com um olho no centro representa a onipotência, a onisciência e a onipresença divina; também conhecido como o olho que tudo vê de Satanás.

A pirâmide é o sólido derivado do triângulo e simboliza o homem em busca da divindade e das energias cósmicas que seriam captadas pelo ápice e irradiadas até a base. A pirâmide é o símbolo da hierarquia espiritual da Nova Era, e é no seu ápice que se encontra o olho do deus da Maçonaria: Lúcifer, o originador desse movimento sinistro. Agora observe a reprodução da nota de um dólar abaixo:

Nela está impresso o Grande Selo dos Estados Unidos que contém o desenho dessa pirâmide ocultista da Maçonaria. Veja melhor esse detalhe ampliado:


Acima do olho de Lúcifer está escrito em latim: ANNUIT COEPTIS, que significa: "Ele tem favorecido nossos empreendimentos". Aqui há dois pontos a considerar. "Ele" é um pronome pessoal indefinido, muito vago; podendo ser qualquer pessoa. Como ao lado do Grande Selo existe escrita a frase: IN GOD WE TRUST ( Em Deus Nós Confiamos) podemos ser levados a crer que "Ele" é Deus. Mas como logo abaixo entre ANNUIT COEPTIS está o triângulo com o olho de Lúcifer ( mais um dos símbolos Maçônicos), e também sabemos que o deus da Maçonaria não e o mesmo Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Não nos deixa dúvidas de que o sentido literal é: "Ele (Lúcifer) tem favorecido nossos empreendimentos".

O segundo ponto a considerar aqui é que a grande maioria dos maçons crê que está associado a uma organização que lhe permitirá obter sucesso e vantagens financeiras em seus negócios e empreendimentos, e, para isso, não medem esforços, submetendo-se a todo tipo de ritual que o credo maçônico recomenda para alcançar os objetivos desejados. Daí o sentido literal: "Lúcifer abençoa os nossos negócios".

Analisemos, agora, a outra frase escrita em latim abaixo da pirâmide maçônica. Ela diz: NOVUS ORDO SECLORUM, que significa NOVA ORDEM MUNDIAL.

O que faz um símbolo maçônico no dinheiro da maior nação democrática do mundo? Conforme afirmamos antes, nada menos do que treze ex-presidentes americanos eram destacados membros da Maçonaria. E foi um deles, Franklin Roosevelt, que, em 1933, mandou colocar o Grande Selo Maçônico nas notas de dólar.

Porém, há ainda outros vestígios da presença da Maçonaria nesta mesma nota de um dólar. A outra fase do Grande Selo do Estados Unidos à direita traz o desenho de uma águia segurando um ramo de oliveira numa das garras e um feixe de flechas na outra garra. A águia é um símbolo da Maçonaria que representa audácia, inteligência, perspicácia, conquista e vitória. O ramo de oliveira simboliza paz e o feixe de flechas representa a guerra. Estes dois símbolos nos fazem lembrar da besta que se parece com um cordeiro (paz) mas fala como dragão (guerra), uma nítida referência profética aos EUA em Apocalipse 13:11



Acima da cabeça da águia há ainda treze estrelas de cinco pontas ou pentagramas que são também símbolos maçônicos de Lúcifer. Contudo, se virarmos esta nota de um dólar, veremos do outro lado, ao centro, a figura do herói da independência americana e o primeiro presidente dos EUA, George Washington, um mestre-maçon do 33° grau. Além, disso, à direita há um brasão do Departamento do Tesouro logo abaixo do nome da capital americana, Washington, D.C., impresso na cor verde-claro sob a palavra ONE. Esse brasão traz outros símbolos da Maçonaria: a balança que representa a justiça (lembre-se de que este símbolo maçônico está presente nos tribunais e cortes de justiça de quase todo o mundo); um esquadro, que simboliza eqüidade e retidão; e uma chave, que representa os segredos da Maçonaria.

Fonte: O Apocalipse

O JUÍZO VEM!! - Mensagem - pastor Manoel Correia

Resultado de imagem para pastor manoel correia


Uma ótima mensagem do pastor Manoel Correia, o juízo vem, mensagem rápida e objetiva, este vídeo nos leva a refletir sobre o dia do juízo, que sabemos que em breve virá, gosto muito destas reflexões que o pastor Manoel tem feito, mensagem breves, que em alguns minutos nos leva a refletir na palavra de DEUS, vale muito apena assistir!



Pr. Manoel Correia é pregador do evangelho, pastor presidente da Assembléia de Deus -  Ministério de Madureira em Governador Valadares - MG

domingo, 12 de novembro de 2017

A difícil realidade dos refugiados no Líbano



Uma das famílias que perdeu tudo no Iraque nos conta como é a vida no Líbano

Hilal Shamoon é um iraquiano de 61 anos que tinha seu próprio negócio em seu país de origem. Hoje, como um refugiado no Líbano, ele recebe cestas de alimentação da igreja. Hilal estava disposto a trabalhar como alfaiate, das 8h da manhã às 8h da noite, seis dias por semana. Mas disseram para ele que ele estava muito velho e perguntaram se seu filho, Riad*, de 28, não gostaria de assumir seu lugar. “Eu sou um homem pobre. Me dê, me dê, me dê”, ele brinca diante de sua atual situação.

Hilal e sua família nos mostram fotos das ruínas da grande casa que tinham e do centro comercial onde ele tinha um pequeno supermercado. Com uma faca apontada para eles, os membros do Estado Islâmico (EI) os forçaram a entregar-lhes joias, dinheiro e o carro. Quando o EI tomou Mossul, no norte do Iraque, em 2014, Hilal fugiu da cidade com sua esposa, Mirza*, o filho mais velho, Riad* e duas filhas mais novas. A família cristã agora mora em um alojamento de dois quartos em Beirute. “Nós estamos apenas em trânsito aqui, mas eu ainda acredito que há um futuro para nós”, diz o esperançoso Hilal.

Como o Líbano não assinou a convenção sobre refugiados de 1951 da ONU, eles veem os sírios e iraquianos apenas como “pessoas deslocadas”, a quem não são obrigados a dar permissão para trabalhar. Embora os sírios estejam espalhados por todo o Líbano, apertados em centros comerciais construídos pela metade ou em campos de refugiados não oficiais, alguns iraquianos os consideram sortudos. Os sírios tiveram acesso a algumas partes do mercado de trabalho que os iraquianos não tiveram. Enquanto isso, os iraquianos encontraram outros meios de sobrevivência, seja no mercado negro (como Riad, filho de Hilal, que não foi trabalhar como alfaiate), seja através de ofertas recebidas.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte:
Portas Abertas - Servindo cristaos perseguidos
www.portasabertas.org.br

LANÇAMENTO DO MEU LIVRO, EM BREVE

Postagens Recentes