terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Carnaval Gospel: Pregação do Evangelho ou Entretenimento/Apostasia?




Como todo mundo sabe, todos os anos durante o período do Carnaval, muitas igrejas realizam projetos de evangelização entre os foliões, incluindo até blocos chamados evangélicos com direitos a trio elétrico nas ruas de determinadas cidades. O fato tem gerado muitos debates, com posicionamentos contra e a favor destes eventos que se dizem evangelísticos.

Ano passado, neste mesmo período, alertamos aqui o perigoso sincretismo religiosa de uma determinada igreja que estava organizando um carnaval gospel com o nome "espírito val".

E na época alertamos que "tanto o Espiritoval, a rave,o trio elétrico, e as duas “Minkaretas” (que não tenho ideia do que se trata!),são todas festas totalmente mundanas". Onde surgiram reações de todo o tipo.

Um outro autor também escreveu sobre o assunto, talvez com maior abrangência do que nós aqui.
Vejam o que diz o pastor Ciro Zibordi sobre o carnaval gospel:

"Muitos cristãos (cristãos?) do nosso tempo têm usado o adjetivo “gospel” para “santificar” atitudes, posturas, comportamentos, condutas e eventos que outrora estavam relacionados a pessoas que não conhecem o Evangelho. Parte-se da premissa de que o crente tem liberdade para fazer o que quiser e se divertir do jeito que bem entender — mesmo que imite o mundo —, e ninguém tem nada a ver com isso."

Os líderes e membros das igrejas “gospelizadas” se conformaram com o mundo. Seus cantores se inspiram em astros mundanos, como declarou, há algum tempo, o integrante de uma famosa banda gospel: “A gente ouve Bob Marley, mas só para se informar”. A tônica das mensagens “evangelísticas” pregadas nessas igrejas é: “Venha como está e fique como quiser”.

“Os que quiserem podem até pular carnaval, pois já existem blocos de ‘samba evangélico’. Para os apreciadores de bebidas fortes já existe a ‘cerveja gospel’, sem álcool, é claro. E não ficaremos surpresos se lançarem o ‘cigarro gospel’, sem nicotina”. Naquela época, esse texto soou como profético para os conservadores, e ácido demais para os liberais, em razão de o processo de “gospelização” ainda estar em seu início.

Não tenho conhecimento de que o “cigarro gospel” tenha sido inventado. Em compensação, hoje temos o “carnaval gospel” , o “arraiá gospel” , o “dia das bruxas gospel” , as “lutas de gladiadores gospel” , o “barzinho gospel” , a “balada gospel” , o “funk pancadão gospel” ... Como diz um “meme” do Facebook (imagem acima), “Só está faltando o inferno gospel”.

Alguém nessa hora diria: "Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda. Filipenses 1:18.

Respondo: " se todos e quaisquer meios de evangelização pudessem ser empregados, sem nenhum limite, teríamos uma grande contradição! Até show erótico ou desfile no carnaval poderiam ser usados para, pretensamente, ganhar almas, desde que Cristo fosse anunciado, não é mesmo?".

Para terminar deixo para a reflexão, a mesma que deixei o ano passado: " Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; Gálatas 1:6 . Estão esquecendo-se da simplicidade que há no Evangelho de Jesus e estão enveredando em coisa totalmente terrenas. Porque não organizar um retiro com esse povo invés dessa pouca vergonha? Cuidado com números!

Certa vez Paul Washer disse: O pastores carnais que usam meios carnais para trazer homens carnais pra suas igrejas, continuarão a usar meios carnais para manter estes homens carnais em sua igreja carnal .
Que Deus nos guarde desse falso evangelho pregado pelo mundo gospel.
"PREGAI O EVANGELHO", ainda continua sendo o mandato de Jesus. Não é o evangelhos dos homens, nem dos evangélicos, nem líderes mais influentes, mas o EVANGELHO DE JESUS

E aí querido leitor, a que conclusão chegou:" Carnaval Gospel: Pregação do Evangelho ou Entretenimento/Apostasia?

Em Cristo,
Xavier Campos Joaquim

Por que não pecar no carnaval e arrepender-se depois?


Longe vai o tempo em que carnaval era “coisa do mundo” e não se falava mais nisso. Crente não saía para participar dos blocos e nem mesmo para ver os foliões, muito menos para dançar nos salões. Nem era preciso aprofundar estudos nas áreas de moralidade, sociologia e criminalidade para se propor uma resposta para o afastamento desses festejos. Chamado a explicar sua ausência, o crente respondia sem piscar:

— É que eu sou crente!

Os tempos agora são outros. O crente pode não sair para ver os blocos ou curtir os bailes de carnaval, mas os blocos entram em sua casa para vê-lo via canais de televisão ou pela internet. Com uma diferença agressiva: detalhes que só podiam ser deduzidos de longe agora são ampliados com poderosos “zoons” digitais, com a entusiasmada colaboração da total liberação dos costumes que cobre só com tinta o que antes ficava escondido sob mais de uma camada de tecido.

E isso não é tudo. Há sim os evangélicos que saem e engrossam o cordão dos sacolejantes. São os blocos do “carnaval gospel”, que vão fazer nas ruas o mesmo que já estavam fazendo nos seus programas de culto. São bandas, ministérios e cantores cuja boa notícia é que crente não precisa ser chato nem parecer beato. Crente – sugerem com sua folia – também tem alegria, ainda que esses carnavalescos gospel estejam falando da mesma alegria que o mundo já encontrava nessas festas. Nada transcendental.

A ideia de resgatar para Deus o que o usurpador tentou encampar é boa, mas certos valores são intrinsicamente irrecuperáveis. Se não, vejamos o carnaval. Do que se trata?

Carnaval é, tradicionalmente, a oportunidade que a sociedade tem – graças à concessão feita pelo catolicismo ao paganismo das saturnais romanas, cujas tradições nos alcançaram via carnaval da Idade Média – de liberar os seus demônios sem cabresto e sem culpa. É o momento em que todos são iguais, a hora de cada um viver a vida do seu jeito, assumir a sua própria máscara e fantasia, sem lei e sem superiores. Não é hora de contrição, isso fica para a quaresma. É ocasião para se admitir explicitamente modos de pensar que se encontram na sociedade o ano inteiro:

• Compre agora e pague depois.
• Divirta-se agora e preocupe-se depois.
• Coma bastante agora e faça regime (ou engorde) depois.
• Trabalhe demais agora e pense na saúde depois.
• Não faça hoje o que você pode deixar para (depois de) amanhã.
• Eu quero a castidade, mas não hoje (como orou Agostinho antes da conversão).
• Hoje é o dia da decisão, e eu escolhi ficar à toa. Depois a gente vê.
• A cigarra trabalha e estoca para o inverno, mas agora, com esse aquecimento global... deixa quieto!
• Peque no carnaval e se arrependa na quarta-feira de cinzas.

A solução para a pobreza moral e indigência espiritual exibidas no carnaval não é pôr na rua blocos evangélicos. Se as pessoas se conscientizassem de que o dia do arrependimento é hoje, não semana que vem, não sairiam às ruas para curtir seu afastamento de Deus. O que há para ser resgatado para Deus não é o carnaval, mas todos os que se soltam nele desejando que nunca chegue a quaresma. Esse resgate esvaziaria o carnaval, extinguiria o seu sentido.

Alternativas cristãs?

Podemos falar em retiros de carnaval. Alguns – não escapistas ou alienantes – têm abençoado o povo de Deus. O crente não vai a esses acampamentos para ouvir que “somos melhores do que eles”, mas aprende que estaríamos no mesmo bloco, se não fosse pela graça de Deus (1Co 15.10; 1Tm 1.15) e que essa é a sociedade em que vamos viver e brilhar (Mt 5.13; Jo 17.15). Certamente teremos de falar também em expulsar de nossas salas de tevê as escolas de samba com o seu rei patético, decadente, e suas rainhas tão risonhas quanto rasas, tão desinibidas quanto desprevenidas.

O caso, porém, é que, mais do que sair do carnaval, importante é tirar o carnaval de nós. Trata-se de luta feroz a que a Escritura se refere de modo dramático: “... no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado” (Rm 7.22-25).

Essas palavras nos conduzem gratos a Jesus, em quem temos a redenção. Se, porém, com a sociedade sem Cristo, fizermos pouco caso do conceito de pecado e deixarmos o arrependimento e a santificação para depois, então estamos no mesmo bloco e percorremos a mesma avenida o ano inteiro. Aí está algo que não podemos empurrar com a barriga, porque, “como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hb 3.7-8).
Cláudio Marra
Casado com Sandra, é jornalista, pastor presbiteriano e editor da Cultura Cristã.

Fonte:
logo ultimato

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Como é viver fazendo parte da “minoria religiosa” de um país?



"É um fardo que temos de carregar. Há perigo em todos os cantos, mas a fé cristã nos dá vida mesmo na morte, porque por meio de Cristo somos vitoriosos"

"É um fardo que temos de carregar. Há perigo em todos os cantos, mas a fé cristã nos dá vida mesmo na morte, porque por meio de Cristo somos vitoriosos"

Possui uma religião oficial, declarando-se uma nação laica. Fazer parte da minoria religiosa para os brasileiros, então, é uma realidade distante da que costumamos ver em países onde o islamismo predomina. Você já imaginou o que é ser hostilizado pela decisão de seguir a Cristo?

Diariamente, publicamos relatos e testemunhos de irmãos que ousam fazer parte dessa minoria mesmo sabendo o que vão enfrentar em todas as esferas da vida: discriminação dentro de suas próprias famílias, na sociedade, exclusão, violência, entre muitas perdas e dificuldades, sem contar as torturas, prisões e mortes. Relembre aqui de alguns testemunhos:

"Aqueles que querem ser livres devem ir embora para outros países e recomeçar a vida. Aqui em Maldivas, somente os não muçulmanos têm o direito de seguir outra religião. Mas se um muçulmano abandonar o islã: blasfêmia! Aqueles que se convertem ao cristianismo devem se arrepender, caso contrário, serão mortos. Assim é a lei por aqui", disse um maldívio estudioso que vive no país.

Você suportaria viver sob pressão? Enfrentar a violência e a perseguição, ser ameaçado de morte por apedrejamento, ficar sem os bens ou ter o casamento anulado por seguir o cristianismo?

"É um fardo que temos de carregar. Há perigo em todos os cantos, mas a fé cristã nos dá vida mesmo na morte, porque por meio de Cristo somos vitoriosos", disse certa vez Samuel*, um cristão afegão perseguido que desapareceu em 2005 em território talibã. Infelizmente, nunca mais se teve notícias dele. Normalmente, quando isso acontece, o cristão é torturado e morto por extremistas islâmicos. Você suportaria viver por Cristo nessas condições?

"Eu esperava que eles fossem punidos, mas a justiça humana falhou. As pessoas que me confortam dizem que Jesus também foi despido. Acho que se eles tivessem me espancado seria melhor, ainda que fosse doloroso, mas que eles jamais tivessem me deixado nua e me humilhado tanto. Vou aguardar a justiça de Deus, pois ele é maior e mais forte que essa situação que estou vivendo", comenta uma senhora cristã de 70 anos que foi exposta nua nas ruas do Egito.

"Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam." (Tiago 1.12)



Fonte:
Portas Abertas - Servindo cristaos perseguidos
    https://www.portasabertas.org.br

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Programa Evangelho Total: a Obra Missionaria em Norete e Malacacheta

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Não perca no programa de hoje, a nossa convidada Pastora Marli, estará falando sobre a obra missionária em Malacacheta e Norete, uma linda obra missionária feita com Zele, dedicação e muito amor em lugar de dificil acesso, carente e abandonado pelo poer público, vale a pena assistir não percam!! Com certeza iremos aprender muito sobre a obra missionária neste programa!!
Não perca hoje as 21:00Hs. ao vivo no Facebook
Link: do programa: Aic William ou www.facebook.com/aic.vidanova

JETRO - Um bom conselheiro


Resultado de imagem para jetro sogro de moisés

"Moisés aceitou o conselho do sogro e fez tudo como ele tinha sugerido." (Êxodo 18.24)

  "Tem uma coisa que me preocupa", disse um amigo. "posso lhe dar um pequeno conselho?"
  "Ih, aí vem coisa...". você pensa. Quando sua esposa chega com algum conselho, dá a impressão de estar reclamando. a incapacidade que seu chefe tem de elogiar soa um pouco como crítica. até mesmo as orações de um amigo podem parecer um sermão. aceitar os conselhos de outras pessoas exige uma autoestima muito sólida e a disposição de crescer como pessoa.
  Jetro, sogro de Moisés, era um homem sábio. Ele vivia no deserto de Midiã (Êx 2.15-16), no triângulo invertido chamado península do Sinai. É possível que a tradição teológica singular de Jetro lhe tenha sido transmitida oralmente, a partir de seu ancestral Abraão (Gn 25.1-2). A maioria dos Midianitas não vivia de acordo com a vontade de DEUS (cf. Nm 25.17-18 31.16), mas Jetro parece ser uma exceção. assim como os não Israelitas Melquisedeque (Gn 14.18), Raabe (Js2.9-11) e Naamã (2 Re 5.15), Jetro reconhecia o "DEUS vivo e verdadeiro" (1 Ts 1.9), e procurava viver de acordo com a verdade Divina.
  Com certeza, Jetro não estava incluído em conversas paralelas. DEUS, porém, não está confinado a esse circulo, assim como outros que podem ter alguma coisa para nos ensinar. Um discípulo é um aprendiz. O que aprendemos de alguém que esteja ao lado de fora dessas conversas paralelas?
  Jetro procurou Moisés quando o genro estava passando por um momento muito confuso. Moisés era responsável por mais de um milhão de pessoas, mas estava agindo como se constituísse um supremo tribunal de um homem só. Dá para imaginar até onde isso poderia chegar? como uma pessoa que não estava diretamente envolvida no problema, Jetro era um observador bastante objetivo. E o que ele viu o perturbou o suficiente para dar ao genro alguns conselhos, ainda que Moisés não os pedisse. Em resumo, Jetro disse a Moisés: "Delegue!"
  Moisés aceitou o concelho do sogro. Jetro orientou Moisés a se manter no supremo tribunal de justiça (Ex 18.22), mas criar vários juizados de pequenas causas (Ex 18.21). Aliviamos a pressão quando levamos "os fardos uns dos outros" (Gl 6.2).
  Jetro, cujo nome significa "sua excelência" (Ex 3.1), pode ser um título, e não o nome verdadeiro do sogro de Moisés. Ele também é chamado Reuel (Que significa "o amigo de DEUS"; Ex 2.18) e,  talvez, Raquel (algumas versões bíblicas de Nm 10.29).
  Até que ponto você se identifica com pessoas que enfrentam dificuldades? como Jetro, você pode orar por sabedoria para poder intervir num caso crítico (Ex 18.14), interceder pelos outros (Ex 18.20) e aliviar o julgo das pessoas. Como Jetro, seja sábio na hora de aconselhar.

Fonte:Bíblia do Homem - NVI - Geográfica editora - Central Gospel.

CGADB: Justiça determina cancelamento de 5.207 inscrições sob pena de multa diária de R$ 10 mil reais



O magistrado afirmou que "quanto a probabilidade do direito, este verifica-se das alegações do autor e os documentos acostados aos autos, que são suficientes, ao menos, preliminarmente para a análise da medida".


Faltando apenas 43 dias para eleição da nova Mesa Diretora da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), a Justiça do Estado do Amazonas, por meio do Juiz Jânio Tutomu Takeda, da cidade de Juruá-AM, concedeu liminarmente Tutela de Urgência cancelando 5.207 inscrições que estariam em desacordo com a resolução nº 01/2016 da CGADB, sob pena de multa diária de R$ 10 mil reais.

A decisão foi publicada nesta quinta-feira (23), e foi proferida nos autos da Ação nº 0000005-67.2017.8.04.5101, da comarca de Juruá-AM, ajuizada pelo pastor Cloves Rocha de Freitas.

De acordo com o magistrado, a CGADB fica expressamente proibida de corrigir os dados incorretos no site eleitoral e deverá cumprir a determinação em no máximo 48 horas a contar da ciência da decisão, sob pena de multa diária de R$ 10 mil reais.

O magistrado afirmou que “quanto a probabilidade do direito, este verifica-se das alegações do autor e os documentos acostados aos autos, que são suficientes, ao menos, preliminarmente para a análise da medida”.

Antônio Carlos Lorenzetti de Mello, ex-presidente da Comissão Eleitoral da CGADB – Foto: Divulgação

ENTENDA – Na ação, o pastor Cloves Rocha de Freitas alega que o ex-presidente da Comissão Eleitoral da CGADB, Antônio Carlos Lorenzetti de Mello, ignorou as impugnações apresentadas e teria validado inscrições em desacordo com a Resolução Eleitoral nº 01/2016 da própria CGADB.

F
onte: http://www.jmnoticia.com.br

Programa Evangelho Total

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, meme e texto


Boa Noite, No  dia  18/02/2017 demos início ao programa Evangelho Total, nosso objetivo, assim como o do pastor William, na frente desse projeto, é de alcançar almas para o reino de DEUS, levar uma palavra de paz a sua vida e orar por aqueles que ao longo dos programas nos enviarem seus pedidos, por isso lhe convido a estar assistindo este vídeo, no Link a seguir, deixando aqui seus pedidos de oração, e nos acompanhando todas as Quintas e Sabados sempre as 21:00hs. onde estaremos ministrando uma palavra ao seu coração e orando por seus pedidos, DEUS abençoe a sua vida!!!

conheça o programa através do link abaixo!!

https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/v/t42.9040-29/10000000_1843550019253476_7632128009926868992_n.mp4?efg=eyJ2ZW5jb2RlX3RhZyI6InNkIn0%3D&oh=4ca24f0a18ff81d7ada02eb273835f8f&oe=58B138E8


Adicione o face do programa no Link abaixo:
www.facebook.com/aic.vidanova


DEUS abençoe a todos!!!







quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

SUDÃO ORDENA DEMOLIÇÃO DE 25 IGREJAS, MAS CRISTÃOS SE RECUSAM A ABANDONAR TEMPLOS





Autoridades estaduais no Sudão planejam demolir pelo menos 25 templos de igrejas na área de Cartum (capital), segundo líderes cristãos.

Uma carta emitida no dia 13 de junho de 2016 pela Corporação Executiva para a Proteção de Terras Governamentais, Meio Ambiente, Estradas e Demolição de Irregularidades de Cartum revela os nomes e locais de 25 edifícios de igrejas marcadas para demolição - a maioria deles no Sharq al Neel Nile, área localizada ao norte de Cartum.


O governo supostamente afirmou que as igrejas foram construídas em terras zoneadas para outras finalidades, mas os líderes cristãos disseram que isso é parte de uma repressão mais ampla contra o cristianismo no país.

O Rev. Yahia Abdelrahim Nalu, moderador do Sínodo Evangélico do Sudão e pastor da Igreja Evangélica Presbiteriana (SPEC), disse à Morning Star News que a ordem subsequente é parte de um ataque sistemático do governo islâmico às igrejas.

"Este não é um ato isolado, mas deve ser encarado de uma perspectiva mais ampla", disse ele.

A ordem mira uma escala larga das denominações, que vão de igrejas católicas às pentecostais.

O Conselho de Igrejas do Sudão denunciou a ordem em uma coletiva de imprensa, no dia 11 de fevereiro, pedindo ao governo que reconsiderasse a decisão ou fornecesse locais alternativos para as igrejas se mudarem. O reverendo Mubarak Hamad, presidente do Conselho, disse que em Cartum, as mesquitas localizadas na mesma área foram poupadas da ordem de demolição.

Hamad disse que a ordem foi dirigida a 27 edifícios da igreja, incluindo uma Igreja Presbiteriana do Sudão em Jebel Aulia, e um pertencente à Igreja Sudanesa de Cristo (SCOC) em Soba al Aradi, ambos ao sul de Cartum.

A ordem de Mohamad el Sheikh Mohamad, gerente geral do Departamento de Terras do Estado em Cartum, no Ministério do Planejamento Físico, pediu que a medida seja implementada imediatamente.

"Estou aqui emitindo a ordem de demolição das igrejas que estão ligadas a áreas residenciais e parques públicos, em bairros da localidade do Nilo Oriental", escreveu Mohamad em uma carta à Corporação Executiva, emitida em 20 de junho de 2016.

Entre os 25 edifícios de igrejas da lista três deles estão localizados em playgrounds públicos. O restante está localizado em áreas residenciais, de acordo com a ordem.

Resistência

No último dia 29 de setembro, funcionários do Ministério do Planejamento e Desenvolvimento Urbano do estado de Cartum informaram os líderes da Igreja Presbiteriana do Sudão (PCOS) que a comunidade tinha 72 horas para desocupar o templo. O edifício da igreja era um dos que estava programado para ser demolido.

"Fomos surpreendidos como Igreja dentro dessa ação", disse um membro da igreja ao site 'Morning Star News' na época do comunicado. "O edifício da nossa igreja está lá desde 1991. Nós ainda estamos nos reunindo para adorar lá, mas tememos a demolição a qualquer momento".

A igreja, cuja a frequência aos domingos varia de 80 a 150 pessoas, recusou-se a desocupar o local porque não tinham nenhum local alternativo para se reunir. A carta dos funcionários do Estado afirmou que a terra em que o edifício da igreja estava situado foi designada como propriedade privada para a construção de jardins.

Três congregações da Igreja Sudanesa de Cristo, juntamente com uma pertencente à Igreja Episcopal do Sudão, também receberam avisos de demolição no dia 29 de setembro.


Perseguição Religiosa

Desde 2012, o Sudão tem mirado em edifícios de igrejas, assediado e expulsado cristãos estrangeiros, geralmente alegando que os edifícios dessas denominações autuadas pertenciam ao Sudão do Sul. O ministro sudanês da Orientação e Endowments anunciou em abril de 2013 que não novas licenças seriam concedidas para a construção de novas igrejas no Sudão, citando uma diminuição da população sul-sudanesa.

A decisão do governo de não emitir novas licenças de construção de igrejas ocorreu depois que o Sudão do Sul se separou do Sudão em julho de 2011, quando o presidente Omar al-Bashir prometeu adotar uma versão mais rígida da sharia e reconhecer apenas a cultura islâmica ea língua árabe.



***
CPAD News
Via:Púlpito cristão

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Líderes cristãos fazem campanha contra ministério Billy Graham: “conservador demais”


Diversos líderes cristãos da cidade canadense de Vancouver se reuniram para tratar da cruzada promovida pela Associação Evangelística Billy Graham. Mas, ao contrário do que aconteceu durante décadas, eles estão se opondo ao evento.

Desde a aposentadoria do seu fundador, as cruzadas são realizadas pelo seu filho Franklin Graham, que preside o ministério. Contudo, seu posicionamento favorável a Trump durante a eleição fez com que ele passasse a ser tachado de “radical”.

O prefeito de Vancouver, Gregor Robertson, convocou lideranças católicas e evangélicas para compartilhar suas “preocupações” com a visita de Graham. Reclamou da postura pública do evangelista quando fala sobre muçulmanos, gays, ateus e democratas (partido de Obama e Hillary).

Marcado para acontecer entre 3 e 5 de março, o evento público pretende reunir mais de 25 mil pessoas. O ministério de Graham realiza várias cruzadas e pregações em todo o mundo, sendo geralmente muito bem acolhido pela igreja local. Mas em tempos de discursos politicamente corretos, ele está atraído críticas de vários segmentos cristãos.

Embora muitos líderes evangélicos canadenses tenham demonstrado apoio, a articulação do prefeito parece estar levando vantagem. “O prefeito está preocupado com a segurança. As declarações que [Franklin] Graham faz sobre muçulmanos e gays realmente podem causar problemas”, assegura o conselheiro municipal Tim Stevenson. Além de político, ele é também o primeiro homossexual assumido a ser ordenado pastor pela Igreja Unida do Canadá.

Em uma reunião na última semana, liderada por Stevenson, foi elaborado uma petição para que se mantenha a cruzada, mas com outro pregador. Quatorze líderes cristãos apoiam essa decisão, incluindo o arcebispo católico Michael Miller, diretores de universidades evangélicas e líderes denominacionais de ramos liberais do cristianismo.

Um dos argumentos usados é que o discurso “extremista”, no sentido conservador, gera divisão na igreja. “Ele desumaniza a comunidade LGBT”, reclamou um dos presentes.

Franklin é conhecido por sua postura aberta contra o casamento gay e sua visão crítica do Islã. Recentemente, classificou os transexuais de “estranhos”. Na ocasião, reconheceu que não era uma linguagem polida, mas lembrou que: “Jesus não era muito amoroso às vezes. Ele chamou os fariseus de víboras, serpentes e sepulcros caiados”.

Também vem apoiando a decisão de Donald Trump de proibir a entrada de muçulmanos no país. Justificou-se dizendo que “o Islã é uma religião muito má e perversa”, que declarou guerra com o Ocidente cristão. 

Com informações de Vancouver Sun e Christian Today
Via: http://www.franciscoevangelista.com

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Testemunhos de cristãos do Sudão

“A situação era difícil, mas eu tinha certeza de que Deus estava ao meu lado. Eu não perdi a minha fé e sabia que Deus iria ficar ao meu lado em qualquer momento”, disse Merian Ibrahim, que foi presa em seu país por acusações de apostasia. A cristã não foi liberada nem mesmo para dar à luz a sua filha. Atualmente ela e a família vivem exiladas nos EUA. “Eu sabia que Deus iria me ajudar, que Deus sabia que eu era uma vítima. É o meu direito praticar a religião que eu escolher”, disse a cristã. Declarar-se um cristão é o mesmo que candidatar-se aos maus tratos e à discriminação. Mesmo assim, a igreja continua crescendo no Sudão.
“A nossa família é muito grande e estamos espalhados pelo mundo, vamos nos unir em oração. Orem pelo Sudão, pois a igreja daqui ora por todos vocês. Que sejamos fortes para cumprir o nosso ministério”, disse Michael Yat, que já enfrentou nove prisões sudanesas e permanece firme para dar seu testemunho e fortalecer os demais cristãos. “Não deixe a perseguição surpreender você, antes disso seja corajoso e prepare-se. Concentre-se na certeza de que Cristo nunca vai te abandonar. Sejamos fortes para cumprir o nosso ministério”, reforça Yat.
O africano Idris Nalos foi um animista, mas um dia conheceu a Cristo. Logo após a sua conversão, ele se tornou um evangelista e começou a pregar em lugares remotos. Em poucos anos, ele plantou três igrejas, e isso chamou a atenção do olhar atento das autoridades. Ele foi preso pelo governo islâmico e torturado com o objetivo de negar a fé. Em oração, Deus lhe deu uma visão: “O Senhor me mostrou todos aqueles para quem eu havia pregado o evangelho e eles estavam falando de Cristo a outras pessoas. Eu vi que eles foram salvos e que estavam dispostos a seguir em frente para continuar o ministério”. Nalos disse que a partir daquele momento não temeu mais por sua vida. Após três semanas de tormento incessante, seus torturadores o liberaram sem explicação.
Há muitos testemunhos vindos do Sudão que servem de exemplo para fortalecer a igreja brasileira. Nós não vivemos em um contexto de perseguição, mas milhares de cristãos vivem e eles são a nossa família, uma parte do corpo de Cristo que vive distante de nós, mas que de uma forma sobrenatural, está bem próxima através das orações. Continue intercedendo por eles.
Juntos pela África
Os cristãos de alguns países da África Subsaariana enfrentam uma das piores perseguições de sua história. No dia 11 de junho, data escolhida para o Domingo da Igreja Perseguida 2017, juntos faremos mais pelos nossos irmãos dessa região. 

Fonte:
Portas Abertas - Servindo cristaos perseguidos
https://www.portasabertas.org.br

domingo, 19 de fevereiro de 2017

A MAIOR RIQUEZA QUE ALGUEM PODE POSSUIR!!

.
Mt.13:44 Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo. 45 Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem,negociante, que busca boas pérolas; 46 E, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a.
A MAIOR RIQUEZA QUE ALGUEM PODE POSSUIR É "A VIDA ETERNA COM DEUS", ANDAR EM RUAS DE OURO, COMER DA ÁRVORE DA VIDA QUE ESTÁ NO PARAÍSO DE DEUS, BEBER DO RIO DA VIDA QUE EMANA DO TRONO DE DEUS, ENTRAR NA CIDADE SANTA PELAS PORTAS (CADA PORTA É UMA GRANDE PÉROLA), VIVER NO PARAÍSO DA PAZ ONDE NÃO HÁ DOR, NEM MORTE, NEM SOFRIMENTOS. ISTO NÃO É UM SONHO E SIM REALIDADE.

Juiz cassa candidatura de José Wellington Jr. à CGADB



Liminar determina afastamento do candidato, filho do atual presidente, e modifica quadro em processo eleitoral tumultuado.



por Jussara Teixeira (repórter especial)
Juiz cassa candidatura de José Wellington Jr. à CGADB

O juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga cassou por meio de liminar a candidatura de José Wellington Bezerra da Costa à Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) e afastou o presidente e vice-presidente da comissão eleitoral Antonio Carlos Lorenzetti de Melo e Wilson Pinheiro Brandão.

A liminar foi expedida em 8 de fevereiro e requerida pelo pastor ligado à convenção Efraim Soares de Moura, que elencou diversas irregularidades, entre elas o fato de José Wellington – filho do atual presidente José Wellington Bezerra da Costa – não ter se desincompatibilizado do cargo de presidente da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD).

De acordo com a regra expressa no edital que regulamenta o processo eleitoral, diretores da editora estão impedidos de se candidatar. Moura alega que a desincompatibilização deveria ter sido informada por meio de documentos no ato do registro, o que não foi realizado.
Professor Cria Curso Online p/ Bacharel Livre em Teologia com VÍDEO AULAS
Entre os argumentos citados na ação judicial, está o de que a própria Comissão Eleitoral reconhece a invalidade da candidatura de José Wellington, justamente por não se desincompatibilizar no prazo devido. Ao se candidatar, o então candidato teria apenas apresentado um documento de licença, o que não significa que se afastou do cargo, já que seu nome continua aparecendo como presidente nas páginas dos periódicos da editora.

Já o afastamento do presidente e vice-presidente da comissão eleitoral ocorreu por suspeita de favorecimento ao candidato. À revelia das normas vigentes, o cancelamento da candidatura não se deu de forma imediata, mas foi concedido um prazo de três dias para que pudesse demonstrar a desincompatibilização do cargo.

Além disso, a condição de Promotores de Justiça seria condição impeditiva para atuarem fora de seu campo de jurisdição.

Segundo informações obtidas com exclusividade pelo Gospel Prime, já existem outras ações judiciais com pedidos semelhantes ingressadas no Amapá e Rio de Janeiro.

Liminar expedida pelo juiz.


Irregularidades

Desde dezembro, pastores das Assembleias de Deus de todo o país entraram na justiça para impugnar registros de inscrição para a eleição da CGADB. Entre as irregularidades relatadas, estão inscrições feitas sem o conhecimento dos pastores membros da convenção, inscrições de nomes sem cadastro, e até de pessoas falecidas ou inadimplentes com suas anuidades.

A eleição da nova mesa diretora está marcada para 9 de abril de 2017.

Caso a cassação da candidatura do pastor Wellington Junior se confirme, e a liminar seja mantida, estarão disputando o pleito somente os pastores anteriormente inscritos, Samuel Câmara, presidente da Assembleia de Deus em Belém e Cícero Aparecido Tardim, presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui (PR).

O processo eleitoral é acompanhado com expectativa pelos integrantes da denominação, pois o pastor José Wellington Bezerra da Costa não estaria mais concorrendo após 25 anos no poder. Já Samuel Câmara tenta a eleição pela quarta vez.

LANÇAMENTO DO MEU LIVRO, EM BREVE

Postagens Recentes